A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Dominic Raab elogia "vantagens" do Brexit

Dominic Raab elogia "vantagens" do Brexit
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um elogio ao Brexit do chefe da diplomacia britânica no início de uma viagem simbólica à América do Norte. Em Toronto, à margem de um encontro com a homóloga canadiana, Dominic Raab disse que a saída do Reino Unido da União europeia vai trazer "uma enorme série de vantagens" no comércio internacional.

"Para o Reino Unido, o Brexit não é apenas uma questão de gerir os riscos, embora isso seja importante. Não quero ser simplista e quero encarar esse assunto de forma muito séria. Mas trata-se também, e penso que o nosso primeiro-ministro tem sido muito claro quanto a isso, de aproveitar as enormes oportunidades das nossas novas liberdades".

Ao mesmo tempo, em Londres, Boris Johnson recebeu o primeiro-ministro da Estónia. Juri Ratas foi o primeiro líder europeu a visitar o novo primeiro-ministro britânico. O encontro ficou marcado pelos temas da cooperação bilateral e pelos assuntos que marcam a agenda da União Europeia.

Vincent McAviney, repórter da Euronews, conta-nos que os negociadores da UE disseram aos diplomatas europeus que não haverá discussões inúteis com o novo Governo britânico. Consideram que a situação continua a mesma de há três anos e que o Reino Unido parece estar no caminho certo para um Brexit sem acordo. Michael Gove, o homem responsável pela preparação de um plano para uma saída sem acordo, disse que estava profundamente triste com estas observações.

Bruxelas, ao lado do primeiro-ministro irlandês, deixou claro que o backstop, a apólice de seguro negociada com Theresa May para evitar uma fronteira entre a República e a Irlanda do Norte deve ser garantido. Algo que o primeiro-ministro Johnson diz que não pode aceitar.