EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Em defesa do elefante africano

Em defesa do elefante africano
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas votou, no último domingo, uma restrição à venda de elefantes, vindos de África.

PUBLICIDADE

Em Genebra, a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas votou, no último domingo, uma restrição à venda de elefantes, vindos de África. A votação deverá ser ratificada no final deste mês.

Pretende-se que estes animais sejam mantidos no seu habitat natural. Uma forma de protegê-los e de evitar a sua extinção. Ou seja, no futuro, poderá haver menos elefantes enjaulados nos jardins zoológicos:

"Ainda estamos em crise, em relação aos elefantes. Há apenas alguns anos tínhamos cerca de um milhão no continente africano. Estamos a perder 35.000 elefantes anualmente, isso não é sustentável. Agora temos menos de metade um milhão. Faça as contas, já não haverá elefantes africanos, nos próximos séculos", explica Kaddu Sebunya, presidente da Fundação Africana para a Vida Selvagem.

Este ano a convenção, que reúne cerca de 180 países, aconteceu três meses depois da publicação do primeiro relatório, mais abrangente, da ONU sobre biodiversidade que alertava para o facto de que mais de um milhão de plantas e espécies animais estão em risco de extinção.

Entre as espécies mais ameaçadas está o tigre, o urso polar e a morsa do Pacífico. Em Portugal, e de acordo com o Fundo Mundial para a Vida Selvagem é a águia imperial pela "diminuição das populações de coelho bravo", dos quais se alimentam. No Brasil, país com uma biodiversidade das mais ricas do mundo, a situação é calamitosa. No que diz respeito às aves, por exemplo, o país é o segundo, depois da Indonésia, com maior número de espécies em risco de extinção.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Relógios de luxo batem recordes na feira Watches and Wonders em Genebra

Grande Prémio de Relojoaria de Genebra: Nomeados para os melhores relógios 2023

Euro 2024: Elefante Bubi prevê vitória da Alemanha contra a Dinamarca