A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Dia 3 Mundial de Judo: Christa Deguchi faz história e Telma Monteiro eliminada no terceiro combate

Dia 3 Mundial de Judo: Christa Deguchi faz história e Telma Monteiro eliminada no terceiro combate
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A portuguesa Telma Monteiro foi esta terça-feira derrotada pela brasileira Rafaela Silva, atual campeã olímpica, no terceiro combate da competição de -57 kg dos Mundiais de judo, em Tóquio.

A judoca do Benfica, medalha de bronze nos Olímpicos Rio 2016, perdeu por ippon diante da atual campeã olímpica, campeã do mundo em 2013 e vice-campeã em 2011, após 3.36 minutos de combate. Rafaela Silva viria a conquistar uma medalha de bronze.

A atleta portuguesa venceu, por ippon, os dois primeiros combates (-57 kg), diante da filipina Rena Furukawa, em 3.31 minutos, e da britânica Lele Nairne, em 2.07.

Telma Monteiro tem no palmarés quatro medalhas de prata e uma de bronze em Mundiais.

Na segunda-feira, segundo dia da prova, a portuguesa Joana Ramos foi quinta classificada ao perder frente à campeã olímpica kosovar Majlinda Kelmendi no combate pela medalha de bronze em -52 kg, por ippon.

Portugal participa na prova com uma comitiva recorde de 18 judocas.

Christa Deguchi faz história

A canadiana Christa Deguchi, uma das favoritas na categoria de -57kg, esteve na sua melhor forma e mostrou que veio a Tóquio para vencer.

No disputado confronto da final com a japonesa atual campeã do mundo Tsukasa Yoshida, a canadiana esteve à altura do desafio, superando a adversária por Waza-ari num contra-ataque decisivo no ponto de ouro, que lhe valeu o seu primeiro título mundial de sempre e o primeiro na história do Canadá. Uma séria candidata a uma coroa Olímpica em 2020.

O Vice-Presidente da Federação Internacional de Judo e Presidente da União do Judo da Ásia, Obeid Al Anzi, entregou a medalha de ouro à judoca.

Christa Deguchi
"Tentei dar tudo e fiz o meu melhor, mas até ao fim do tempo não fui eu quem determinou o ritmo do combate. E no ponto de ouro estava a ficar cada vez mais cansada e já não sabia o que estava a fazer. Acho que o motivo porque ganhei é que eu sabia que não podia deixá-la levar a medalha de ouro. O último lance não foi técnicamente bom, foi um movimento instintivo. Foi ótimo vencer, mas ainda tenho muito trabalho pela frente."
Christa Deguchi

Shohei Ono: um nome a não esquecer em Tóquio 2020

Não há lugar melhor para aprender a arte do judo do que a capital japonesa e Shohei Ono regalou os adeptos e não só com uma exibição exemplar, repleta de Ippons e de um nível técnico soberbo.

O nipónico atual campeão olímpico provou que continua a reinar na categoria de -73kg, superando tudo e todos ao longo do dia e sagrando-se o nosso legítimo homem do dia.

O combate final foi uma repetição dos Jogos Olímpicos de 2016, onde lutou e venceu o judoca Rustam Orujov, do Azerbaijão, arrebatando o seu terceiro título mundial. Shohei Ono reinou supremo e tudo indica que é um sério candidato a um segundo título olímpico no ano que vem, em Tóquio.

O responsável da divisão de Desporto da empresa Hakuhodo DY Media Partners, Kenichiro Yokomizo, condecorou o judoca com a medalha de ouro.

Shohei Ono
"Não foi nada fácil, apesar de estar a competir em casa. Não quis ficar aquém das expectativas de todos, senti pressão para alcançar a vitória e isso deu-me força para vencer."
Shohei Ono

O Movimento do Dia

O nosso movimento do dia foi o Harai Goshi de Chen-Ling Lien, do Taiwan, no combate da segunda ronda frente a Ghofran Khelifi, da Tunísia.

O Harai Goshi de Chen-Ling Lien.

Ao terceiro dia o judo foi brilhante e há mais para vir.