A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Militares colombianos abateram nove dissidentes das FARC

Militares colombianos abateram nove dissidentes das FARC
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos nove elementos de um grupo dissidente das FARC foram mortos numa operação desencadeada pelas forças armadas da Colômbia, na zona rural de San Vincente del Caguán, antigo bastião da guerrilha revolucionária.

Entre os mortos está o cabecilha de um grupo dissidente. O presidente colombiano, Iván Duque, congratula-se com a operação:

"Graças ao trabalho estratégico, meticuloso e rigoroso caiu "Gildardo Cucho", cabecilha da organização. Este criminoso dedicava-se ao narcotráfico, ao sequestro e à intimidação de líderes sociais e pretendia fazer parte de uma estrutura ameaçadora que se apresentava ao país como uma nova guerrilha. Mas não é nada disso, é uma quadrilha de narco-terroristas".

Estima-se que cerca de 1800 ex-membros das FARC não aderiram ao processo de paz e constituíram 24 grupos dissidentes dedicados ao narcotráfico e extração ilegal de minério.

Na quinta-feira, dois ex-líderes da guerrilha, "Iván Marquez" e Jesus Santrich surgiram num vídeo, rodeados de combatentes, anunciando o retomar das hostilidades contra o governo e o retorno às armas, acusando as autoridades colombianas de terem traído os acordos de paz de 2016.

Na sua conta Twitter, o ministro da Defesa, Guillermo Botero, escreveu: "Os delinquentes estão avisados - ou se entregam ou serão vencidos".