A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Amber Rudd: governo não pensa no acordo com Bruxelas

Amber Rudd: governo não pensa no acordo com Bruxelas
Direitos de autor
REUTERS/Peter Nicholls
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Abandonou o governo em protesto contra a expulsão de 21 militantes do Partido Conservador que votaram, com a oposição um projeto de lei para evitar um ‘Brexit’ sem acordo.

Este domingo, a antiga ministra do Trabalho e das Pensões revelou que se demitiu porque o primeiro-ministro "está a direcionar quase todos os recursos do Governo na preparação de um Brexit sem acordo".

Numa entrevista ao programa de Andrew Marr, na BBC, Amber Rudd disse que há “uma máquina enorme preparada para uma saída sem acordo e que existe falta de equilíbrio e de dedicação à hipótese de uma saída sem acordo”. Rudd revelou que 80% a 90% do tempo da governação destina-se a preparar uma saída sem acordo e denunciou uma ausência de trabalho com vista a um entendimento com Bruxelas, Uma razão que considera justificar a revolta de 21 colegas conservadores e a sua saída do governo.

Também em entrevista ao programa de Andrew Marr, o ministro das Finanças, Sajid Javid, disse não concordar com Rudd e garantiu que Boris Johnson e a maioria dos ministros estão a trabalhar para conseguir um acordo.

Muitos dizem que Boris Johnson fez um golpe de Estado ao suspender o parlamento por tanto tempo e numa altura crucial. Mas a expulsão de 21 deputados conservadores e a demissão da ministra do Trabalho colocaram o primeiro-ministro numa posição muito delicada.