A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Macron: Jacques Chirac "protegeu a França do ódio"

Macron: Jacques Chirac "protegeu a França do ódio"
Direitos de autor
Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As luzes mais famosas de Paris apagaram-se em homenagem a Jacques Chirac, o ex-presidente francês que morreu esta quinta-feira, aos 86 anos.

Apagam-se as luzes mas não se apaga a figura que marcou um nação. Jacques Chirac, Chefe de Estado durante 12 anos, faleceu "de forma pacífica", segundo divulgou a família.

No dia da morte de Jacques Chirac, Emmanuel Macron falou ao povo francês.

"Protegeu a França do ódio", foi um dos muitos elogios que Macron deixou ao ex-Chefe de Estado.

"Recordamos esta noite com emoção e carinho pela liberdade que ele tinha, pela personalidade, pelo talento que teve para conciliar simplicidade e grandeza, proximidade e dignidade, amor à pátria e abertura ao universal."
Emmanuel Macron
Presidente da França

No discurso, Emmanuel Macron falou de Chirac como um "simbolo de valores, tanto para França, como para o mundo.".

O presidente francês prestou condolências à família do político e não deixou escapar algumas decisões cruciais para a França que o ex-presidente tomou enquanto governante, como o "não" à segunda guerra do Iraque, em 2003, e também quanto à posição que Chirac mantinha em relação às alteracões climáticas.

A presidência decretou o próximo dia 30 de setembro "Dia de luto Nacional" em memória de Jacques Chirac. Será também realizada uma cerimónia solene no mesmo dia, às 12h (hora de Paris), na igreja de Saint-Sulpice.

Para ver a mensagem na integra: