A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

#MeToo: Plácido Domingo deixa Ópera de Los Angeles

#MeToo: Plácido Domingo deixa Ópera de Los Angeles
Direitos de autor
Фото Рейтер
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Acusado de assédio sexual, Plácido Domingo demitiu-se da direção da Ópera de Los Angeles, que conduzia desde 2003.

Em comunicado, o tenor espanhol de 78 anos, que rejeita as acusações, afirmou que foi criada "uma atmosfera que [lhe] impede de ser útil" na tarefa, mas frisou que continua "empenhado em recuperar a [sua] reputação".

Plácido Domingo viu-se em agosto na mira do movimento #MeToo, que desde outubro de 2017 fez cair vários nomes importantes do mundo do espetáculo, ao ser acusado por nove mulheres de assédio sexual. Um inquérito publicado pela Associated Press que, em setembro, trouxe à ribalta declarações de outras onze mulheres, que também dizem ter sido vítimas do tenor.

Tanto a Orquestra de Filadélfia como a Ópera de São Francisco cancelaram espetáculos onde estavam previstas atuações de Plácido Domingo.

Jude Penland, diretora da Ópera de São Francisco: "Isto demonstra que é um assunto que toca todas as formas de entretenimento. Mas é bom que se saiba. Talvez faça com que outros homens parem e pensem onde é que estão os limites e os respeitem."

A polémica parece afetar, de momento, a carreira do tenor apenas em território norte-americano. Plácido Domingo foi ovacionado durante o verão em várias cidades europeias e tem espetáculos previstos nas próximas semanas em Zurique e Moscovo.