A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Katowice: das minas à cultura e aos novos negócios

Katowice: das minas à cultura e aos novos negócios
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

No passado, Katowice prosperou graças ao carvão. Agora, a cidade polaca está no meio de um processo de transformação para tornar-se numa cidade mais sustentável.

O museu da Silésia, construído numa antiga mina, é o símbolo da transformação de Katowice. Atualmente, a instituição exibe o trabalho artístico de um antigo trabalhador das minas, agora reformado. "É fantástico, eu trabalhei aqui, com uma pá e um martelo. E agora as minhas obras estão expostas, aqui, no museu, nesta mina", disse à euronews Jan Nowak, antigo mineiro de Katowice.

Para Jan Nowak, a pintura é uma forma de terapia após anos de trabalho árduo. "Afastei-me do stress do trabalho da mina, mas, é importante não esquecer o passado. Aqui a minha história e a dos meus colegas fica registada", acrescentou Jan Nowak.

Pintura de Jan Nowak, antigo mineiro polaco

As minas como fonte de inspiração

O museu da Silésia recebe 250 mil visitantes por ano. "Este sítio contém muitas memórias associadas ao trabalho e à vida de muitas pessoas. Tentamos incorporá-las na nossa programação e tentamos estar perto das vidas que estão ligadas a este sítio", frisou Alicja Knast, diretora do museu polaco.

O escritório e a capela da antiga mina de Katowice foram transformados num teatro. "A energia dos mineiros é muito importante porque queremos manter esse lado físico e contar as histórias através da consciência dos corpos. A comparação com o trabalho que era feito nas minas, debaixo do solo, é muito importante para nós. É inspiradora", sublinhou Anna Piotrowska, diretora do Teatro Bytom.

Katowice está na moda

A cidade polaca atrai hoje novos habitantes mas preserva a herança cultural e social ligada às minas. "As pessoas mais velhas que trabalharam na mina, ainda vivem cá, mas, a cidade mudou muito e está na moda. Há muitos turistas, e há sobretudo, novos habitantes, jovens que querem viver aqui", contou o curador polaco Henryk Mercik.

A eficiência energética

Na Polónia, 80% da eletricidade provém do carvão. Uma tendência que o Parque Tecnólogico Euro-Centrum de Katowice espera inverter graças à aposta nas energias renováveis e na eficiência energética. "Somos um local de teste para as PME, na área da eficiência energética dos edifícios, da eficiência das energias renonáveis, das tecnologias solares e das redes inteligentes", afirmou Patryk Białas, director de Inovação do Euro-Centrum.

Parque Tecnológico Euro-Centrum

Katowice acolhe Fórum Urbano Mundial

No ano passado, Katowice destacou-se ao acolher a conferência da ONU sobre o clima. A Polónia recusa o objetivo de redução das emissões proposto pela Comissão Europeia, mas, o ministro do ambiente da Polónia garante que a economia polaca já está a mudar. "Neste momento, há mais pessoas empregadas no setor automóvel do que nas minas, há novos serviços e start-ups. As pessoas apostam na investigação e desenvolvimento e nas nanotecnologias. O facto desta região mineira se ter transformado numa zona altamente cultural é simbólico. Temos um centro de congressos, uma ópera e um museu sobre a história da região", afirmou Michal Kurtyka, ministro do Ambiente da Polónia.

Em 2022, Katowice deverá acolher o Fórum Urbano Mundial, onde as questões climáticas estarão em destaque.