Mais 13 mortes em naufrágio ao largo de Lampedusa

Access to the comments Comentários
De  João Paulo Godinho
Mais 13 mortes em naufrágio ao largo de Lampedusa
Direitos de autor  REUTERS/Pasquale Claudio Montana Lampo

Pelo menos 13 pessoas, todas mulheres, morreram esta segunda-feira em mais um naufrágio no Mar Mediterrâneo.

A embarcação, que transportaria cerca de 50 pessoas, afundou-se ao largo da ilha italiana de Lampedusa devido ao mau tempo. Apenas 22 migrantes foram resgatados pelas autoridades com vida durante o dia, mas os sobreviventes alegam existir mais pessoas desaparecidas.

Flavio di Giacomo, coordenador da área do Mediterrâneo para a Organização Internacional para as Migrações, adiantou no Twitter que o barco era proveniente da Tunísia.

Nos últimos anos, o Mediterrâneo tornou-se um verdadeiro cemitério para quem tentava chegar à Europa em busca de uma vida melhor. Segundo a Organização Internacional para as Migrações (IOM na sigla em inglês), cerca de 19000 pessoas morreram aqui afogadas entre 2013 e 2019.

Só neste ano já perderam a vida pelo menos 1041 migrantes. 2016 foi o ano com os piores registos: 5143 mortes.

A entrada de refugiados na Europa está também a diminuir. Entre janeiro e setembro terão entrado mais de 72 mil migrantes, aquém dos mais de 84 mil registados em igual período de 2018.

O procurador-adjunto de Agrigento, província a que pertence Lampedusa, Salvatore Vela, já está na região para coordenar as investigações. Apesar da polémica em torno da migração em vários países - nomeadamente em Itália -, a União Europeia continua sem encontrar uma solução comum para o problema.

Outras fontes • LUSA / Reuters