A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Reabriu universidade que Viktor Orbán expulsou

Reabriu universidade que Viktor Orbán expulsou
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Após uma longa batalha contra o primeiro-ministro da Hungria, país de onde foi praticamente expulsa, a Universidade Centro-Europeia abriu portas na capital austríaca, Viena.

Há muito que Viktor Orbán tinha como alvo esta instituição, sedeada em Budapeste e fundada por George Soros, o magnata crítico do governo húngaro, sobretudo em matéria de imigração.

"Não é possível ter democracia sem universidades livres. Não é possível ter uma sociedade livre sem liberdade de pensamento. Este sempre foi o espírito desta universidade. Pagámos um preço demasiado elevado por defender estes princípios na Hungria. Mas nunca iremos desistir de trabalhar em Budapeste", declarou Michael Ignatieff, o reitor.

Alguns laboratórios e arquivos permanecem na capital húngara, depois de o estabelecimento de ensino ter estado debaixo de fogo por atribuir diplomas emitidos nos Estados Unidos sem dispor de instalações oficiais nesse país.

De acordo com a reitoria, foi a primeira vez que uma universidade foi forçada a abandonar um país na União Europeia. Para já, as infraestruturas em Viena ainda são temporárias até que se encontre um espaço definitivo.