EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Zoran Zaev teme pelo futuro do Acordo de Prespa

Zoran Zaev teme pelo futuro do Acordo de Prespa
Direitos de autor 
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Primeiro-ministro Macedónio admite dificuldades depois da nega ao início das negociações para a adesão da Macedónia do Norte à União Europeia

PUBLICIDADE

A nega da União Europeia ao início das negociações para a adesão da Macedónia do Norte pode colocar em causa o Acordo de Prespa. Quem o diz é o primeiro-ministro Zoran Zaev, o homem por trás do histórico entendimento com a Grécia tendo em vista a designação do país balcânico partilhou os seus receios em entrevista à euronews:

"Não há possibilidade de implementar o acordo de Prespa. Parte do acordo será suspenso porque realmente não é possível. Iremos tentar implementar qualquer coisa mas está tudo interligado. O processo de transformação significa abrir mão da nossa soberania para a dar à União Europeia."

Para o chefe do governo macedónio, o caminho europeu é o único a seguir para o seu país. A alternativa seria um grande problema para todos:

"Se apagarem a luz às estrelas da União Europeia ficaremos no escuro aqui. E no escuro vamos ficar perdidos. Se criarmos o ambiente para o radicalismo, para o renascimento do nacionalismo, iremos prejudicar bastante os Balcãs. E quando os Balcãs têm um problema, a Europa tem um problema."

A 1 de Janeiro, a Croácia irá assumir a liderança do Conselho Europeu. O primeiro-ministro, Andrej Plenković, admite que irá desenvolver esforços no sentido de acolher a Macedónia do Norte na família europeia:

"A nossa ambição é falar com quem não está convencido e explicar-lhes que o melhor para a estabilidade da região e o melhor para o futuro da Europa é começar o processo."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A reeleição de Trump poderá afetar a economia europeia em 150 mil milhões de euros

Kaja Kallas renuncia ao cargo de primeira-ministra da Estónia para assumir política externa da UE

János Bóka: "A Europa precisa ter algum tipo de relação com a Rússia"