EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Migrantes: Alemanha pede maior solidariedade para com Itália

Migrantes: Alemanha pede maior solidariedade para com Itália
Direitos de autor 
De  João Paulo Godinho
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países estiveram juntos e fizeram um diagnóstico crítico da atuação da UE nesta matéria.

PUBLICIDADE

A crise dos migrantes que tentam chegar à Europa é uma das fraturas que mais divide a União Europeia nos últimos anos. Por isso, a Alemanha entende que é tempo de encontrar uma resposta comunitária adequada e apoiar países como Itália, um dos principais destinos dos refugiados.

Numa receção a Luigi Di Maio, ministro italiano dos Negócios estrangeiros, por ocasião dos 30 anos da queda do muro de Berlim, o titular da diplomacia alemã, Heiko Maas, deixou o apelo à ação dos parceiros europeus.

"Precisamos de uma resposta europeia, baseada nos nossos valores comuns, responsabilidade partilhada e solidariedade, acima de tudo, para com os países de chegada como Itália, que foram deixados à sua própria sorte com este fardo por demasiado tempo", afirmou.

As palavras de Maas caíram bem a Luigi Di Maio, que defendeu uma maior solidariedade dos parceiros comunitários.

"A Alemanha está sempre disponível para realojar migrantes que chegam à costa italiana e responde sempre primeiro, com uma disponibilidade que deve ser um exemplo para os outros países e que esperamos agora que possam aderir ao conceito de solidariedade europeia em respeito a este fenómeno da migração", vincou.

Ao longo dos últimos meses, vários barcos de resgate de migrantes ficaram bloqueados no Mediterrâneo sem poder aportar em Itália, devido à política de tolerância zero do anterior governo italiano.

Por outro lado, a recusa de vários países de leste em acolher migrantes veio aumentar ainda mais a coesão da União, num tema que continua sem uma solução à vista.

Como resposta, a União Europeia aprovou esta semana o reforço da agência europeia de controlo de fronteiras, a Frontex, com mais 10 mil efetivos até 2027.

Outras fontes • Reuters

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia alemã mata homem que esfaqueou três pessoas numa festa do Euro 2024

Alemanha goleia Escócia no jogo inaugural do Euro 2024

Chegada da seleção portuguesa deixa centenas em euforia e até houve rancho folclórico