EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Veneza pode perder estatuto de Património Mundial

Veneza pode perder estatuto de Património Mundial
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

UNESCO vai enviar em janeiro uma missão à cidade italiana

PUBLICIDADE

Veneza faz parte da lista do Património Mundial da UNESCO desde 1987. Mas a cidade dos canais poderá perder o estatuto se as autoridades italianas não avançarem com melhores medidas de proteção contra as inundações. 

O aviso foi feito pela diretora do Centro do Património Mundial da UNESCO, Mechtild Rossler:

"A situação em Veneza é dramática. Vamos enviar uma missão em janeiro para analisar a situação. Há questões de gestão eficaz, de turismo excessivo e, claro, acerca das inundações."

Veneza está na "lista negra" de observação da UNESCO e a situação e gestão dos problemas na cidade estão a ser investigados desde 2017.

Mechtild Rossler: "Houve um debate sobre se Veneza era colocada na lista de perigo, mas isso é uma decisão do comité intergovernamental do património e segue critérios claros, que definem por que razão um local deve ser incluído na lista de perigo."

Apesar da cidade italiana se ver regularmente confrontada com inundações, o coração histórico de Veneza viu-se literalmente submerso este mês, com as águas a atingirem os níveis mais altos em mais de meio século.

Mechtild Rossler: "Isso destabilizou edifícios e conduz a uma erosão, bem com à introdução de espécies que corroem a madeira sob a qual está construída Veneza. Está construída sob a água e há um impacto no ecossistema da lagoa, por isso há um grande número de problemas que é preciso tratar e penso que precisamos de fazê-lo em conjunto."

Até ao momento, apenas dois locais incluídos na lista do Património Mundial da UNESCO viram retirada a classificação, o Santuário do Órix da Arábia, em Omã, e o Vale do Elba em Dresden, na Alemanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Contra Ventos e Marés"

"Acqua alta" volta a atingir Veneza e inunda Praça de São Marcos

Itália castiga "eco-vandalismo" com multas até 60.000 euros