Última hora

Luta contra a violência de género é prioridade na UE

Luta contra a violência de género é prioridade na UE
Direitos de autor
REUTERS/Christian Hartmann
Tamanho do texto Aa Aa

A violência de género permanece uma realidade.

A futura Comissão Europeia já anunciou como prioridade a proteção das vítimas e castigo para os agressores.

A responsável europeia por esta pasta é Helena Dalli. Ela foi a primeira ministra da Igualdade no seu país de origem, Malta, e será a primeira comissária europeia para a Igualdade.

O seu objetivo é incluir a violência contra as mulheres na lista de crimes contidos no Tratado Europeu.

"É claro que é um crime. Não podemos ter pessoas que vivem aterrorizadas, seja por violência física ou psicológica, ou mesmo violência económica", afirma a futura comissária europeia, Helena Dalli.

Estes são os números:

43% de mulheres sofreram violência psicológica exercida pelo parceiro;

20% sofreram abusos físicos;

E o pior: todas as semanas uma média de 50 mulheres são assassinadas por um parceiro atual ou antigo na União Europeia.

"É horrível ver isto porque trabalhamos nesta área há muitos anos. A realidade é que os números continuam a aumentar, isso é o que sabemos. Também sabemos que muitos casos não são denunciados", adianta.

A comissária quer que todos os membros da União ratifiquem a convenção de Istambul, um compromisso internacional de luta contra a violência doméstica. Há seis países que ainda não ratificaram o documento.

O objetivo é facilitar a colaboração transfronteiriça e criar legislação obrigatória a nível europeu.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.