Última hora

Os desafios dos trabalhos de reparação no espaço

Os desafios dos trabalhos de reparação no espaço
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O austronauta italiano Luca Parmitano* da Agência Especial Europeia conta-nos uma missão de reparação de um instrumento, durante uma caminhada espacial.

Com a ajuda do astronauta da NASA Andrew Morgan, Luca Parmitano procedeu, recentemente, a uma missão de reparação do Espetrómetro Magnético Alfa. "Fora da Estação Espacial Internacional, temos um instrumento chamado Espetrómetro Magnético Alfa cujo sistema de controlo térmico falhou. Vamos lá fora, para repará-lo, e vamos fazer várias caminhadas espaciais", explicou Andrew Morgan, durante uma comunicação em direto do espaço, em exclusivo para a euronews.

Os desafios do trabalho espacial

"Vamos abrir o sistema, cortar os tubos atuais, como se faz num transplante de coração. Depois, pegamos na nova bomba, no novo 'coração' e instalamos os novos tubos nos tubos já existentes, para começar a fazer circular o sistema de refrigeração que trouxemos para o espaço. De certa forma, é como uma cirurgia de coração aberto no espaço, num sistema muito complexo. É difícil reparar os espetrómetros magnéticos e vai ser muito interessante fazê-lo aqui com estes fatos!", comentou o astronauta da ESA.

Para executar a missão foi preciso desenvolver novas ferramentas. "Qualquer caminhada no espaço é desafiante, com as restrições do nosso fato e a pressurização do fato. Mas esta caminhada vai ser particularmente interessante, porque tivemos de desenvolver várias novas ferramentas. Aqui temos apenas alguns exemplos. Provavelmente vamos levar mais quatro ou cinco malas deste tamanho, cheias de ferramentas semelhantes às que temos aqui. E, como disseste, trata-se de algo muito parecido com uma cirurgia de coração aberto. Eu não sou cardiologista, mas sou médico. Acho que temos aqui muitas analogias interessantes. Uma das funções é gerir todas estas ferramentas enquanto tu fazes a maior parte do trabalho", concluiu o astronauta da NASA.

*em colaboração com a Agência Espacial Europeia

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.