Última hora
This content is not available in your region

O sistema francês de pensões

euronews_icons_loading
O sistema francês de pensões
Tamanho do texto Aa Aa

A idade legal da reforma é um dos principais pontos de tensão em França. Pode permanecer nos 62 anos. A partir desta idade os trabalhadores podem beneficiar de uma pensão sem cortes, mas o objetivo é incitá-los a trabalhar durante mais tempo.

Com as reformas antecipadas, em França a idade média de aposentação é de 60 anos e oito meses. É menos do que na Grécia, em Espanha, em Itália e em Portugal.

França beneficia de uma das mais elevadas taxas de substituição, a par de Espanha, Itália e Portugal: o sistema francês permite que os pensionistas mantenham uma média de quatro quartos do seu rendimento, que é três vezes superior à dos britânicos, que subscrevem contratos privados.

Os sistemas de pensões são, muitas vezes, questionados, à medida que a população vai envelhecendo...

"Há um aumento do tempo de vida, uma entrada tardia no mercado de trabalho e uma população em declínio em toda a Europa, de modo que em muitos países europeus a idade da reforma foi adiada. Muitos europeus dizem, "vocês têm uma das idades de aposentação mais baixas, então se nós o fazemos, por que não vocês?", evidencia a diretora-geral da Fundação Robert Schuman, Pascale Joannin.

Segundo ponto de tensão: a fusão dos 42 regimes de pensões existentes, incluindo os dez regimes especiais, como os destinados aos trabalhadores da Sociedade Nacional dos Caminhos-de-ferro Franceses, da Régie Autonome des Transports Parisiens, das indústrias da eletricidade e do gás, do Banco de França ou da Ópera de Paris.

No geral, os países europeus têm menos regimes especiais. Na Bélgica, existem quatro: para os mineiros, para o pessoal de navegação civil, para os marinheiros e para os jornalistas. Espanha também tem alguns.

Nos últimos anos, países como a Grécia reformaram os sistemas de pensões, por vezes num período de crise económica, e incentivados pelos credores.