EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Eleições ou "farsa eleitoral" na Argélia?

Eleições ou "farsa eleitoral" na Argélia?
Direitos de autor 
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois de dez meses de protestos, os argelinos votam esta quinta-feira para eleger o sucessor do presidente Abdelaziz Bouteflika. Mas para o movimento que levou à demissão de Bouteflika, estas eleições são apenas uma manobra política por parte dos poderes instalados para salvar o regime.

PUBLICIDADE

Depois de dez meses de protestos, os argelinos votam esta quinta-feira para eleger o sucessor do presidente Abdelaziz Bouteflika. Mas para o movimento que levou à demissão de Bouteflika, estas eleições são apenas uma manobra política por parte dos poderes instalados para salvar o regime.

Os cinco candidatos à presidência são considerados "filhos do sistema", pela oposição e por grupos de contestação.

Na quarta-feira houve uma manifestação contra o ato eleitoral e não é difícil encontrar nas ruas eleitores que não vão votar. "Não vou votar. Se for votar, vou trair o meu país. Não há eleições com gangues", diz um jovem. "Toda a gente que vai votar está a trair o nosso país, porque o cúmulo da estupidez é tentar a mesma experiência, com as mesmas pessoas e ferramentas e esperar um resultado diferente", realça outro homem.

Para o movimento "Hirak", surgido em fevereiro, esta é uma "farsa eleitoral" que pretende manter no poder aqueles que controlam a política desde que Bouteflika foi nomeado presidente há 20 anos.

De acordo com a agência France Presse, duas assembleias de voto na Cabília, norte da Argélia, foram vandalizadas por grupos que se opõem à realização destas eleições presidenciais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Argélia marca independência com funeral de antigos combatentes

Presidente da Argélia nomeia Abdelaziz Djerad como primeiro-ministro

Eleições europeias: O que é que os eleitores querem e o que é que os candidatos prometem?