Última hora

O Gigante de gelo da Patagónia

O Gigante de gelo da Patagónia
Tamanho do texto Aa Aa

Na Patagónia há cerca de 300 glaciares. O Perito Moreno é um dos mais conhecidos.

Faz parte de um campo de gelo que se estende da Argentina ao Chile e é a terceira maior reserva de água doce do mundo. Com 30 km de comprimento, 5 metros de largura e uma altura que ultrapassa os 60 metros, este gigante de gelo desafia o aquecimento global. Ao contrário da maioria dos glaciares, que estão a desaparecer, o Perito Moreno cresce cada vez mais.

Eduardo Shula, guia no Parque dos Glaciares da Patagónia, explica as características particulares do Perito Moreno.

"Está em equilíbrio. Quer dizer que a quantidade de gelo que é produzida na montanha é a mesma que se perde na parte da frente. O glaciar continua em movimento porque a gravidade empurra-o para as montanhas. E, por isso, o glaciar fica sempre na mesma posição. Por exemplo, o glaciar Upsala ou o Viedma estão a recuar depressa porque estão a flutuar num lago. O Perito Moreno toca no fundo do lago, é mais estável. Depende do tamanho e da espessura. Eles recuam de formas diferentes".

Neste momento, o Perito Moreno é considerado estável mas os outros glaciares nesta área estão a recuar. As consequências podem ser dramáticas. A principal é a subida do nível do mar. Mesmo uma pequena subida pode ter efeitos devastadores nos habitats costeiros, provocando inundações e perda de terras.

Os cientistas repetem os alertas sobre o recuo dos glaciares. Dizem que o degelo na Patagónia terá menos impacto do que o da Antártida ou da Gronelândia, que perdeu sete vezes mais gelo nos últimos dez anos do que na década de 1990.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.