Última hora
This content is not available in your region

Era Putin começou há 20 anos

euronews_icons_loading
Era Putin começou há 20 anos
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

"A 31 de dezembro de 1999 os russos não esperavam que o novo ano lhes trouxesse um novo presidente mas a mudança da era política estava a acontecer, há 20 anos, ao som do relógio da torre de Spaskaya", lembra a correspondente da Euronews, Galina Polonskaya.

Boris Yeltsin estava muito doente. O circulo mais próximo percebeu que era demasiado arriscado que ficasse até ao final do mandato. Era a altura de encontrar um sucessor no Kremlin. A escolha tinha sido feita antes, em agosto, quando Vladimir Putin foi nomeado primeiro-ministro.

O anúncio foi feito num momento muito preciso: na noite de passagem de ano quando todos estavam a ver televisão, à espera dos tradicionais votos do presidente.

Aquela noite foi especial: o cansado Boris Yeltsin dizia adeus e o jovem e enérgico Vladimir Putin dava boas vindas à Rússia do novo milénio antes das doze badaladas.

Sergey Stankevich, conselheiro político de Boris Yeltsin, em entrevista à Euronews, explicou que “esta transição dramática nessa noite era uma garantia contra possíveis surpresas e o desejo de um vazio de poder. Comunistas e populistas estavam fortes e podiam ter algum poder no processo de transição e criar uma crise constitucional".

O antigo líder dos Serviços de Segurança, ex-agente do KGB, agora liderava a Rússia do novo milénio.

Tornou-se um presidente interino e venceu depois as primeiras eleições em março. 20 anos depois uma das palavras preferidas de Putin quando descreve o país é "estabilidade". Os opositores preferem "estagnação". Mas uma coisa é certa, em 1999 a palavra mais usada era "incerteza".

Sergey Stankevich lembra que “a falência do país em 1998 quase matou o país, a economia mal se mexeu, o governo entrou em colapso, a oligarquia russa floresceu e procurava vorazmente aproveitar-se de tudo o que era possível, as greves dos mineiros continuaram e chegaram a Moscovo, bateram com os capacetes, parecia que o estado era fraco, o governo era fraco e o risco de instabilidade era óbvio”.

Vladimir Putin vai manter-se na presidência até 2024. A lei dita que seja o último mandato. A grande questão já se coloca: quem será o sucessor? Uma pergunta à qual Putin nunca quis responder.