Última hora
This content is not available in your region

Contagem dos votos está em curso e não será do agrado do Pequim

euronews_icons_loading
O conservador Han Kuo-yu (à esq.) partiu atrás da progressista Tsai Ing-wen, no escrutínio
O conservador Han Kuo-yu (à esq.) partiu atrás da progressista Tsai Ing-wen, no escrutínio   -   Direitos de autor  AP/ Ritchie B. Tongo/ Chang Hao-an
Tamanho do texto Aa Aa

Tsai Ing-wen saiu na frente do escrutínio para ser reconduzida como Presidente de Taiwan, contados os primeiros votos das eleições gerais deste sábado na antiga Formosa.

Cerca de 19 milhões de eleitores foram chamados às urnas para eleger um novo chefe de Estado e a formação de um novo Parlamento nesta democracia oficialmente denominada como República da China, mas hoje em dia independente à revelia do governo de Pequim.

As urnas abriram pelas oito horas da manhã (era meia noite em Lisboa) e fecharam oito horas depois, às quatro da tarde locais.

Três candidatos à presidência figuraram no boletim de voto.

O conservador Han Kuo-yu, do Partido Nacionalista, que defende uma maior proximidade a Pequim, confirma-se como o principal adversário da progressista Tsai ing-wen, mas o escrutínio colocava-o com uma desvantagem de cerca de vinte pontos com cerca de 5% dos votos contados.

O terceiro candidato, James Soong, do Partido Primeiro O Povo, também favorável a uma reaproximação a Pequim, está a confirmar as escassas hipóteses de se intrometer na decisão.

Em jogo estão também os 113 assentos do Parlamento desta democracia pioneira na formação das Nações Unidas, antes da ascensão da República Popular da China.

Na anterior legislatura, a assembleia era dominada pelos progressistas, mas alguns analistas políticos consideram a manutenção desta maioria o grande desafio dos pró-independentistas nestas eleições.

Os resultados decisivos são esperados ainda durante este sábado.