Última hora
This content is not available in your region

Regime reprime protesto por avião ucraniano

Regime reprime protesto por avião ucraniano
Direitos de autor
AP
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades iranianas recorreram a munições reais e gás lacrimogéneo para dispersão uma manifestação contra o poder, em Teerão, depois do regime ter admitido que o avião da Ukraine International Airlines que se despenhou perto da capital na semana passada foi abatido por engano com um míssil anti-aéreo.

Os meios oficiais iranianos não relataram os incidentes, mas grupos de defesa dos direitos humanos divulgaram vídeos da violência nas redes sociais.

No Canadá, decorriam em simultâneo homenagens às vítimas. Cinquenta e sete dos 176 ocupantes do voo da companhia ucraniana eram canadianos.

Às 1700 pessoas reunidas numa homenagem na Universade de Edmonton o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, afirmou: "Vocês dão-nos motivação para lutar pela justiça e apurar responsabilidades. Quero garantir a todas as famílias e todos os canadianos que não descansaremos enquanto houver perguntas por responder e até que haja justiça e responsabilização."

Depois de ter negado qualquer responsabilidade no incidente, o regime iraniano acabou por admitir no fim-de-semana que o avião ucraniano tinha sido abatido por engano, com um míssil das suas forças armadas. O Canadá já exigiu compensações financeiras para as famílias.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.