Última hora
This content is not available in your region

Começou o julgamento de Donald Trump

euronews_icons_loading
Começou o julgamento de Donald Trump
Direitos de autor
أ ب
Tamanho do texto Aa Aa

Momento histórico nos Estados Unidos da América, o julgamento para a destituição do Presidente Donald Trump começou no Senado.

Trump é acusado de "crimes e ofensas graves", nomeadamente abuso de poder e obstrução ao funcionamento do Congresso.

No início da fase formal do julgamento político, o senador democrata Chuck Schumer deu a entender que quem não deve não teme.

"Se o caso do Presidente é tão fraco que nenhum dos homens do Presidente pode defendê-lo sob juramento, tenham vergonha dele e daqueles que permitem que isso aconteça. O que é que o Presidente esconde? O que é que os nossos colegas republicanos escondem? Porque, se eles não estivessem com medo da verdade, eles diriam: vá em frente, avance, procure a verdade, consiga testemunhas, obtenha documentos", afirmou líder dos democratas no Senado, Chuck Schumer.

"Se eu aparecesse em qualquer tribunal do país e dissesse ao juíz que o meu caso era arrasador mas que eu ainda não estava pronto, precisava de mais provas antes de apresentar o caso, eu seria corrido da sala em dois segundos. E é precisamente isso que deve acontecer aqui," respondeu o conselheiro da Casa Branca, Pat Cipollone.

Donald Trump terá pressionado o Presidente da Ucrânia, através de um telefonema, para que a família do adversário político Joe Biden fosse investigada.

A Câmara dos Representantes considerou também que Trump tentou dificultar a investigação do caso ucraniano ao omitir documentos e impedir o depoimento de pessoal da Casa Branca.

Para retirar o Presidente dos Estados Unidos do cargo é necessária uma maioria de 2/3 dos votos. Um cenário pouco provável dado que os republicanos têm a maioria dos assentos no Senado e já anunciaram que estarão unidos na sua maioria (53 contra 47).

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.