Última hora
This content is not available in your region

China limita acesso a Wuhan para travar coronavírus

euronews_icons_loading
China limita acesso a Wuhan para travar coronavírus
Direitos de autor  AP Photo Emily Wang
Tamanho do texto Aa Aa

Wuhan está de portas fechadas. Na cidade chinesa onde o coronavírus foi detetado, as autoridades tentam travar a propagação da doença que já matou 17 pessoas.

Com mais de 500 casos de infeção confirmados, os habitantes locais foram aconselhados a não abandonar a cidade. Isto, na semana em que milhões de chineses viajam no país para celebrar o Ano Novo Lunar. Todos os transportes públicos de passageiros foram encerrados.

Até ao momento, na China, o vírus já chegou a Macau. Há também casos confirmados nos Estados Unidos, na Tailândia e na Coreia do Sul.

O novo coronavírus provoca pneumonia virai e é transmitido entre animais. Atualmente há também já registo de transmissão entre humanos.

Reunida de emergência esta quarta-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) adiou por 24 horas a decisão de classificar o surto como emergência de saúde pública internacional. Para o comité é necessário reunir mais informação.

Em conferência de imprensa, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, salientou a importância da transparência para uma correta avaliação da situação.

"A transparência é muito importante, ajuda realmente muito. E se queremos manter o mundo seguro, a transparência é essencial. E é isso que estamos a ver acontecer e encorajamos a manter", afirmou.

A maioria dos casos de coronavírus ocorreu em Wuhan e vários países estão já a tomar medidas para controlar a propagação.

No aeroporto de Heathrow, em Inglaterra, uma equipa de profissionais de saúde vai reunir-se com todos os passageiros que viajem da cidade chinesa. Para os passageiros, tudo parece estar a decorrer dentro da normalidade.

À chegada de Wuhan, um dos passageiros disse que a viagem correu "de forma absolutamente normal, à parte toda a gente estar a usar máscaras". Durante o voo foi também fornecido "um folheto a pedir para contactar as autoridades, em caso de manifestação de algum sintoma".

A deteção de vírus logo nos aeroportos é uma das medidas adotadas em alguns países, enquanto aguardam por informação da Organização Mundial de Saúde para definir uma estratégia de combate à transmissão.