Última hora
This content is not available in your region

Primeiro caso de contágio entre humanos e mais um infetado na Europa

euronews_icons_loading
Primeiro caso de contágio entre humanos e mais um infetado na Europa
Direitos de autor
Xiao Yijiu/Xinhua via AP - Xiao Yijiu
Tamanho do texto Aa Aa

Há mais um caso de coronavírus em França, no mesmo dia em que foi confirmado, na Alemanha, o primeiro contágio entre seres humanos na Europa.

Um turista chinês idoso, originário da província de Hubei, onde se situa a cidade Wuhan, o epicentro da epidemia, está internado em estado grave num hospital de Paris, com análise positiva de coronavírus.

O caso alemão resultou da contaminação de um cidadão alemão, de 33 anos, a partir de um colega de trabalho chinês, que esteve alguns dias no país na semana passada, a dar formação na empresa de ambos.

O portador do coronavírus, uma mulher, apenas revelou sintomas no voo de regresso à China, realizado a 23 de janeiro.

A ministra da Saúde da Baviera, onde surgiu este caso, revela otimismo perante a reação do paciente ao tratamento.

"Se olharmos para este caso em curso, o paciente está a reagir muito bem. No entanto, continua em isolamento na clínica, em Munique, sob supervisão médica. A investigação das pessoas que estiveram em contacto com o portador do vírus continua a alta velocidade, em especial junto dos familiares e no espaço da empresa", revelou Melanie Huml.

São agora cinco os casos confirmados na Europa, quatro deles em França com origem na China.

A Comissão Europeia (CE) anunciou entretanto ter ativado, a pedido do Governo francês, o mecanismo europeu de proteção civil para ajudar no repatriamento de cidadãos franceses que se encontram em Wuhan, uma cidade de 11 milhões de habitantes.

"Duas aeronaves serão mobilizadas para repatriar cidadãos da União Europeia", revelou Janez Lenarči, o comissário para a Gestão de Crise.

O primeiro avião está programado para partir esta quarta-feira de manhã e o segundo mais para o final da semana.

"Os cidadãos europeus presentes na região e que desejam ser repatriados ainda podem solicitar o acesso a estes aviões, independentemente da nacionalidade", adianta a CE.

O primeiro grupo a ser repatriado irá incluir 250 franceses no primeiro avião e mais de 100 cidadãos de outros Estados-membros da UE serão transportados no segundo aparelho. "Nesta fase, apenas cidadãos saudáveis ou que não revelem sintomas poderão viajar", especifica a CE.

Na cidade chinesa epicentro da epidemia residem pelo menos 20 cidadãos portugueses, que o Governo pretende incluir nas missões europeias de repatriamento.

O Governo gaulês está, entretanto, "a reunir uma equipa médica para acompanhar o primeiro avião".

"O objetivo é identificar se existem pessoas infetadas no momento do embarque para que possam receber assistência e transporte especiais. Pretendemos separar as pessoas doentes das que não têm sintomas", explicou Agnès Buzyn, a ministra da Saúde de França.

O atual surto de coronovírus teve alegadamente origem num mercado de rua da cidade de Wuhan, na China, em dezembro, e já chegou também aos Estados Unidos, ao Canadá e à Austrália.

Esta nova estirpe de pneumonia viral já matou mais de 100 pessoas, para já apenas na China, e contaminou mais de quatro mil.

A região de Wuhan, epicentro da epidemia, encontra-se em quarentena.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.