EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Cidadãos internacionais resgatados da China

Cidadãos internacionais resgatados da China
Direitos de autor Quelle: NHK
Direitos de autor Quelle: NHK
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Japão e Estados Unidos da América já retiraram da China cidadãos nacionais de quarentena por causa do coronavírus. Comissão Europeia tem dois voos organizados para esta semana.

PUBLICIDADE

Chegaram a Tóquio os primeiros cidadãos japoneses resgatados de Wuhan. Os 206 passageiros estavam retidos na cidade chinesa para evitar o contágio do novo coronavírus. Quatro pessoas foram encaminhadas para o hospital por apresentarem sintomas de gripe.

Outras 240 pessoas, de nacionalidade norte-americana, foram resgatadas via aérea por um avião dos Estados Unidos.

Esta quarta-feira, parte o primeiro de dois voos organizados pela Comissão Europeia, 250 franceses voltam a casa no primeiro, outra centena de cidadãos europeus têm regresso marcado ainda esta semana.

A comunidade internacional tenta dar uma resposta à transmissão do vírus que já matou mais de 130 pessoas na China. Tanto em França, como na Alemanha, há quatro casos de infeção registados.

Autoridades precisam de mais informação

Após uma primeira recusa de ajuda internacional, a China vai permitir que uma equipa de especialistas coordenada pela Organização Mundial da Saúde visite o país para analisar o vírus.

Até ao momento, apesar dos milhares de casos detetados, fica de parte a declaração de estado de emergência internacional.

Sobre a doença, apenas alguns detalhes são conhecidos. As primeiras vítimas eram sobretudo idosos que já apresentavam problemas respiratórios, mas pouco se sabe sobre as mortes mais recentes.

Entretanto, em Wuhan, dois hospitais são construído em tempo recorde.

Para garantir que não há atrasos, as férias de Ano Novo foram canceladas. A China luta contra o tempo e muitos trabalhadores fazem horas extraordinárias de forma a cobrir as necessidades de equipamentos médicos espoletadas pela crise.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Coronavírus provoca alerta global

Comunidade científica une-se contra coronavírus

China concentra grande maioria dos casos de coronavírus