Última hora
This content is not available in your region

Desmantelado negócio milionário de contrafação de tabaco

euronews_icons_loading
Tabaco apreendido na fábrica desmatelada em Monda
Tabaco apreendido na fábrica desmatelada em Monda   -   Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

A polícia espanhola deteve 20 pessoas ligadas a uma fábrica de tabaco ilegal, avaliada em mais de €70 milhões anuais e agora desmantelada nos arredores de Monda, a norte de Marbella, no sul de Espanha.

Os traficantes tinham ocultado a fábrica numa quinta de cavalos e a Guarda Civil, numa operação com a colaboração da Interpol, teve de se aplicar para encontrar a entrada da cave onde era contrafeito o tabaco.

Durante o ano passado foram desmanteladas na Europa 47 fábricas ilegais, mas, de acordo com a Europol, esta é a primeira encontrada no subsolo.

A produção desta fábrica era contínua. Os trabalhadores alternavam em turnos de 12 horas, num regime de quase escravatura, sem poderem sair da cave durante semanas.

As autoridades calculam que ali fossem produzidos cerca de 3.500 cigarros por hora e mais de meio milhão por semana.

Carlos Gallego, da Guarda Civil espanhola, adianta que a "esta organização criminal" tinha nesta fábrica de Monda "um potencial de lucro de €1,5 milhão por semana."

O ritmo de produção permitia ao grupo um lucro estimado de €72 milhões ao final de um ano.

A marca contrafeita nesta fábrica era a Cartel, de origem búlgara, e o destino do tráfico seria França, Alemanha e Reino Unido, onde cada maço seria vendido por cerca de €2 contra os €12 da versão legal.

Quase asfixiados

Quando entrou na cave, a polícia descobriu seis trabalhadores ucranianos quase asfixiados após o gerador da ventilação ter ficado sem combustível. Os homens mostraram-se agradecidos às autoridades por terem sido salvos.

O espaço incluía uma camarata, casa de banho, cozinha e até uma plantação de marijuana.

Entre os detidos, há também cidadãos britânicos e lituanos. Pelo menos, 12 ficaram em prisão preventiva.

Dois dos detidos eram fugitivos com mandados de captura internacionais.

O grupo começou a dar nas vistas com a rápida mudança do estilo de vida, evoluindo em poucos meses de habitações na pequena localidade de Monda para apartamentos na zona turística de Marbella ou para pisos de luxo na capital de província, Málaga.

A organização já estaria a preparar a abertura de novas fábricas em território espanhol.

A investigação ainda não foi dada como encerrada. A Europol vai prosseguir na pista do tráfico para apurar quem seriam os recetores e eventuais revendedores da mercadoria contrafeita em Monda.