Última hora
This content is not available in your region

Coronavírus: FMI admite baixa das previsões de crescimento económico

euronews_icons_loading
Coronavírus: FMI admite baixa das previsões de crescimento económico
Direitos de autor  Stock exchange
Tamanho do texto Aa Aa

O surto do novo coronavírus está a contagiar os mercados financeiros internacionais e a afetar fortemente a economia com as empresas a suspenderem produção, eventos e viagens de negócios.

Já ninguém tem dúvidas de que o vírus terá um forte impacto na economia mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) admite já que as projeções de crescimento podem ser revistas em baixa.

"Nós provavelmente vamos rever em baixa as previsões de crescimento, nas projeções sobre a economia mundial em abril... No caso de uma reação mais severa do vírus, seria desejável uma ação sincronizada e coordenada pela comunidade internacional", disse o porta-voz da organização, Gerry Rice, em conferência de imprensa.

A União Europeia continua atenta à situação. Bruxelas precisa de mais tempo para avaliar o impacto económico, mas já está a ponderar medidas para apoiar os setores mais duramente atingidos pelo surto de coronavírus.

O comissário para o mercado interno, Thierry Breton, afirma: "Começamos a ver aqui e ali alguns setores em tensão, alguns setores que estão a ser mais afetados do que outros. Estou a pensar, particularmente, no turismo que, obviamente, está a ser impactado há dois meses".

A Alemanha, por seu turno, está a considerar estímulos fiscais, numa altura em qu os anuncios de eventos cancelados por parte de grande grupos empresariais se sucedem.

O facebook cancelou a conferência anual; a Nestlé ordenou aos seus colaboradores que não viajem em trabalho até meados de março.

.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.