Última hora
This content is not available in your region

Covid-19 limita viagens de negócios

euronews_icons_loading
Covid-19 limita viagens de negócios
Direitos de autor  TVE
Tamanho do texto Aa Aa

As grandes empresas e instituições estão a tentar proteger os funcionários do novo coronavírus, cancelando viagens de negócios. O Banco Central Europeu anunciou esta quarta-feira a restrição das viagens não essenciais.

Empresas como a Goldman Sachs, a Nestlé, a L'oréal e a Google Europa decidiram colocar em stand-by ou limitar as viagens domésticas e internacionais.

Estas restrições têm impacto nas companhias aéreas.

"Vai haver mais falhas de companhias aéreas nas próximas duas semanas, tendo em conta que a maioria das companhias aéreas está a ter um decréscimo de 20 a 25% nas reservas", realça o CEO da Ryanair, Michael O'Leary.

Em resposta a esta quebra, algumas companhias aéreas e hotéis estão a ajustar as taxas de cancelamento.

A maioria das grandes companhias aéreas, como a Delta, a Emirates, a Lufthansa, a United e a American, suspenderam os voos para a China continental até ao final de abril.

As companhias aéreas vão reembolsar o dinheiro dos voos cancelados aos passageiros e não vão cobrar taxas de alteração dos itinerários, na primeira modificação.

Os hotéis também não estão a aplicar taxas aos turistas provenientes ou com destino a zonas afetadas.