Última hora
This content is not available in your region

Portugal reage à grave contaminação por Covid-19 em Espanha

euronews_icons_loading
Casal conforta-se no aeroporto de Barcelona em plena crise do Covid-19
Casal conforta-se no aeroporto de Barcelona em plena crise do Covid-19   -   Direitos de autor  AP Photo/Emilio Morenatti
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Assembleia da República Portuguesa anunciou esta segunda-feira que o Parlamento poderá debater na quarta-feira uma eventual declaração do estado de emergência em Portugal devido à pandemia de Covid-19.

Ferro Rodrigues revelou já ter falado com o Presidente da República, a quem cabe pedir a implementação do Estado de Emergência, e afirmou que o Conselho de Estado pedido por Marcelo Rebelo de Sousa foi antecipado da tarde para a manhã de quarta-feira para que os deputados possam debruçar-se sobre o eventual pedido no mesmo dia.

A decisão surge após uma reunião no domingo entre o primeiro-ministro português e o chefe do Governo espanhol, da qual resultou também a decisão anunciada também esta segunda-feira de controlar as fronteiras terrestres de Portugal, passando a existir nove pontos de passagem exclusiva para mercadorias e trabalhadores que tenham de se deslocar entre ambos os países por motivos profissionais.

O controlo das fronteiras, incluindo o sanitário, será efetuado em articulação com as autoridades espanholas, explicou o ministro Eduardo Cabrita após uma reunião por videoconferência juntando os responsáveis pela Administração Interna dos Estados-membros da União Europeia, a que se juntaram também representantes da Noruega e da Suíça e três comissários europeus.

Eduardo Cabrita avançou ainda uma tomada de decisão ibérica sobre as fronteiras aéreas depois de já terem sido interrompidos em Portugal os voos de e para Itália e China, "países de risco mais elevado", sublinhou o ministro.

China ultrapassada

A nível global, o surto continua a agravar-se e o número de infeções e mortos relacionados com este novo coronavírus já ultrapassa os registos da China, epicentro da pandemia, com a Espanha a tornar-se no segundo país do mundo com mais novos casos de Covid-19.

Só em 24 horas, as autoridades espanholas registaram mais um milhar de casos positivos, elevando os números nacionais para mais de 9.190 casos, incluindo 335 mortos e mais de meio milhar de pacientes recuperados.

O governo espanhol decidiu inclusive colocar os hospitais privados ao serviço do sistema de saúde público e as autoridades admitem que o estado de emergência em curso pode prolongar-se para lá dos 15 dias em curso, devendo vir a afetar a celebração da Páscoa.

Itália centra receios na UE

Itália mantém-se ainda como o país em situação mais grave na Europa. Há quase 25 mil casos de infeção na "bota" transalpina , incluindo mais de 1.800 mortos e quase 2.340 pessoas recuperadas da infeção.

Em França, o governo decidiu limitar tanto quanto possível o convívio social e ordenou sábado à noite o encerramento de todos os estabelecimentos comerciais considerados não essenciais como bares e restaurantes.

O presidente Emmanuel Macron prometeu para esta segunda-feira à noite um ponto da situação num país que foi porta de entrada do vírus na Europa e conta atualmente com cerca de 5.500 casos de infeção, 130 mortes e 12 recuperados.

A Alemanha, por fim, com mais de 5.800 casos de infeção e 14 mortos, fechou esta segunda-feira as fronteiras terrestres com França, Áustria e Suíça.

Para terça-feira, a União Europeia tem previsto uma reunião extraordinário de líderes, por videoconferência, para decidir os próximos passos na luta contra o surto de Covid-19.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, propõe encerrar as fronteiras externas durante 30 dias.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.