Espanha regista 514 mortes em 24 horas

Espanha regista 514 mortes em 24 horas
Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As mortes devido à Covid-19 sucedem-se em Madrid, ao ponto de o Palácio do Gelo estar a ser utilizado como morgue. Espanha registou 514 mortos e 6 500 infetados nas últimas 24 horas. Desde o início da crise já se registaram quase 2 700 mortos.

PUBLICIDADE

As mortes devido à Covid-19 sucedem-se em Madrid, ao ponto de o Palácio do Gelo estar a ser utilizado como morgue. Espanha registou 514 mortos e 6 500 infetados nas últimas 24 horas. Desde o início da crise já se registaram quase 2 700 mortos.

O ministro da Saúde, Salvador Illa, acredita que o país vai atingir o pico da pandemia esta semana. Os hospitais na região da capital entraram em colapso.

"Começamos a detetar tensão nalguns setores do Sistema Nacional de Saúde, em concreto na Comunidade Autónoma de Madrid. Este é um momento de solidariedade com Madrid. Faço um apelo à solidariedade, da mesma forma que farei quando ocorrerem situações idênticas noutras partes do Sistema Nacional de Saúde", disse Salvador Illa.

Para acudir Madrid, o Governo vai canalizar alguns recursos de outras regiões do país, tentar comprar mais no exterior e reativar a produção local.

A partir de Toulouse, em França, foram enviadas máscaras de proteção oriundas de um carregamento que a China enviou à Europa.

As máscaras são imprescindíveis numa altura em que o pessoal médico do país representa 12% dos 39 673 infetados.

As forças armadas espanholas solicitaram assistência humanitária à NATO.

Quanto às medidas económicas para resistir à crise, o Governo aprovou hoje um primeiro fundo de 20 mil milhões de euros para pequenas e médias empresas e trabalhadores independentes

"A população é a variável mais relevante na partilha, mas também temos que ter em conta a dispersão ou o número de pessoas com mais de 65 anos, entre outros parâmetros", afirmou a ministra das Finanças, María Jesús Montero.

Entre os mais vulneráveis estão os idosos que vivem em lares, em muitos casos abandonados. A Unidade Militar de Emergência descobriu idosos a viverem lado a lado com os corpos de falecidos pela Covid-19, em mais do que um local.

As medidas de emergência foram decretadas há 10 dias e estão em vigor até 12 de abril.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Um arquiteto juntou-se a 17 famílias e nasceu a primeira cooperativa de habitação em Madrid

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023

Vinícius Júnior, jogador do Real Madrid, não conseguiu conter as lágrimas ao falar de racismo