Última hora
This content is not available in your region

Jourová alerta sobre propaganda russa acerca da pandemia

euronews_icons_loading
Jourová alerta sobre propaganda russa acerca da pandemia
Direitos de autor  Gill, Joanna/EURONEWS GLOBAL CONVERSATION
Tamanho do texto Aa Aa

O combate à pandemia de Covid-19 levou os países a tomarem medidas de emergência para defesa da saúde pública que suspendem algumas liberdades civis, num desafio sem precedentes para a União Europeia.

Na entrevista exclusiva com Věra Jourová, vice-presidente da Comissão Europeia para os Valores e a Transparência, a euronews quis saber se estava preocupada com a proteção de dados dos cidadãos cujos movimentos possam vir ser a ver monitorizados através dos telemovéis, como desejam alguns países.

"Não estamos preocupados, neste momento. Queremos que as pessoas dêem um consentimento informado específico por serem parte do grupo que usa essa ferramenta. Quanto aos estados de emergência, não devem vigorar para sempre porque há regras específicas sobre a duração do período de emergência ", explicou Věra Jourová.

Na Hungria não está claro quando é que a lei de emergência deixará de vigorar, o que levou muitas vozes a dizerem que não há uma efetiva democracia no paquele Estado-membro da União Europeia.

“Quando se analisa a lei, é bastante comparável às de outros Estados que prevêem os regimes de emergência. Mas o contexto é difícil, porque havia pouca confiança, no passado, em relação ao governo húngaro e ao seu primeiro-ministro. Portanto, devemos permanecer vigilantes e olhar para a aplicação que é feita", afirmou a vice-presidente.

Questionada sobre quais são os países mais ativos na disseminação da desinformação sobre a pandemia, Věra Jourová respondeu: "O Serviço Europeu de Ação Externa fez um relatório recentemente, que reafirma o que dizia nos anteriores, sobre a existência de uma produção muito intensa de desinformação por parte de fontes pró-governo russo. Essa tendência permanece com a crise da Covid-19. Vemos uma propaganda cada vez mais alargada contra a União Europeia. Nunca lutaremos com as mesmas armas, não usaremos nenhum tipo de propaganda suja contra aqueles que produzem essas notícias. ”

A entrevista na íntegra é transmitida, a partir das 18h50, no programa Global Conversation.