Última hora
This content is not available in your region

Cadeia de produção alimentar em risco

euronews_icons_loading
Cadeia de produção alimentar em risco
Direitos de autor  CHRIS KNIGHT/AP
Tamanho do texto Aa Aa

A visão de prateleiras vazias nos supermercados é uma realidade preocupante em tempos de pandemia. A escassez de alguns géneros alimentares preocupa tanto os consumidores como os produtores, mesmo que as autoridades tentem tranquilizar a população.

A semana passada, o ministro das Finanças francês abordou a questão, garantindo que a França não sofreria de penúria alimentar graças à mobilização excecional de toda a cadeia de produção. Bruno Le Maire acrescentou ainda que era motivo de orgulho para os franceses poder dizer que mesmo em período de crise, a segurança alimentar do país estava garantida.

No entanto nem todos os países europeus se podem gabar do mesmo e parte do problema reside na dependência de trabalhadores sazonais, frequentemente recrutados em países onde a mão-de-obra é mais barata.

A Alemanha já anunciou o recrutamento de quarenta m il trabalhadores estrangeiros para assegurar as colheitas da primavera. A cadeia de produção alimentar foi classificada de essencial pela Comissão Europeia para facilitar a circulação de produtos mas ainda não existe uma solução comum para permitir que os trabalhadores sazonais possam suprir as lacunas existentes.

Para Philippe Binard, Secretário-geral da Associação Europeia de Produtos Frescos, este é "um problema grave e depende dos Estados-membros criar regras para assegurar que os trabalhadores sazonais se possam deslocar para os sítios adequados. Se não tivermos trabalhadores sazonais nas colheitas atualmente disponíveis, teremos desperdício alimentar. E se não prepararmos os campos para os produtos de verão e outono, teremos escassez desses produtos e isso pode levar a um aumento dos preços."

As medidas de higiene e segurança essenciais para travar a progressão da pandemia apresentam um desafio suplementar para a indústria alimentar e o problema está longe de se limitar ao continente europeu. O encerramento de fronteiras impede a circulação normal de produtos e milhares de toneladas de alimentos não conseguem chegar onde são efetivamente necessários.

Receia-se um cenário de desperdício alimentar sem precedentes, mas ao mesmo tempo a ameaça da escassez alimentar é real. De acordo com os especialistas, o aumento da produção é vital mas a circulação de produtos também. A teoria existe, agora falta encontrar uma forma para a colocar em prática.