Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de sexta-feira, 17 de abril

Teste à covid-19
Teste à covid-19   -   Direitos de autor  MIGUEL MEDINA/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia de Covid-19 já infetou mais de dois milhões de pessoas em todo o mundo e deixou um rasto de mais de 150 mil mortos contaminados por este novo coronavírus.

Destaques do dia:

  • Portugal atinge os 657 mortos e os 19.022 casos de infeção
  • Parlamento Europeu aprova medidas de apoio à Saúde em 3.000 milhões de euros
  • Número de mortes volta a subir em Espanha e Itália
  • Donald Trump acusa China de ter mais óbitos por covid-19 do que dizem os números oficiais
  • Reino Unido regista 847 mortos nas últimas 24 horas
  • OMS alerta que pandemia está subdiagnosticada em África devido à escassez de testes

21h25 (CET) Pandemia ultrapassa marca dos 150 mil mortos

A pandemia de covid-19 já matou mais de 150.000 pessoas em todo o mundo, quase dois terços das quais na Europa, desde que surgiu na China, em Dezembro, segundo um relatório da AFP baseado em fontes oficiais.

Registou-se, até às 20h00 (CET) desta sexta-feira, um total de 150.142 mortes em todo o mundo (para 2.207.730 casos), quase dois terços das quais na Europa (96.721 mortes para 1.100.677 casos), o continente mais afetado. Os Estados Unidos são o país com mais mortes (34.575), seguido pela Itália (22.745), Espanha (19.478), França (18.681) e Reino Unido (14.576).

20h20 (CET) África precisa de 44 mil milhões de dólares, dizem Banco Mundial e FMI

O Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) estimam que África precise ainda de 44 mil milhões de dólares para combater a pandemia de covid-19.

O alerta surgiu numa reunião realizada esta sexta-feira e que incidiu essencialmente sobre a situação atual no continente africano.

"Em conjunto, os credores oficiais mobilizaram até 57 mil milhões de dólares para África até 2020", afirmaram numa declaração conjunta. "O apoio de credores privados poderá ascender a cerca de 13 mil milhões de dólares. Este é um começo importante, mas o continente precisa de cerca de 114 mil milhões de dólares em 2020 na sua luta contra o Covid-19, deixando um défice de financiamento de cerca de 44 mil milhões de dólares", avisaram as duas instituições.

19h45 (CET) França confirma mais 761 mortos

As autoridades sanitárias francesas anunciaram hoje mais 761 mortes provocadas pelo novo coronavírus, o que deixa o total de óbitos do país desde o início da pandemia em 18.681.

Pelo terceiro dia consecutivo, o número de pessoas hospitalizadas devido à doença de Covid-19 diminuiu (115), tal como o número de pessoas em cuidados intensivos, que regista menos 221 pessoas, segundo o diretor-geral da Saúde em França.

"Este é um declínio lento mas constante", afirmou o responsável francês.

19h15 (CET) Trump diz que o número de mortos na China é "bem mais elevado"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou esta sexta-feira que o número de mortes por covid-19 na China, de onde a pandemia teve origem, é "muito superior" ao número oficial de mortes fornecido pelas autoridades chinesas.

"A China acaba de anunciar uma duplicação do número de mortes. É muito mais alto que isso e muito mais alto do que o dos Estados Unidos", disse Trump, através do Twitter.

A afirmação do presidente americano surge na sequência da revisão do número de óbitos provocados pelo novo coronavírus anunciada hoje pela cidade de Wuhan e que afinal terá sido de 4.632.

Nos Estados Unidos, o país mais atingido pela covid-19, já morreram mais de 33 000 pessoas.

18h45 (CET) Fundo de Resposta Solidária da OMS já tem 150 milhões de dólares

A Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou hoje, pelo diretor-geral Tedros Adhanom Ghebreyesus, que o Fundo de Resposta Solidária já arrecadou cerca de 150 milhões de dólares, provenientes de mais de 245 mil donativos de cidadãos, empresas e fundações.

Acompanhe aqui a conferência de imprensa da OMS em direto.

18h00 (CET) Itália regista mais 575 mortos nas últimas 24 horas

O número de mortes por covid-19 em Itália aumentou para 22.745, tendo sido registados 575 óbitos nas últimas 24 horas, contra 525 na quinta-feira.

Já o número total de casos de infecção desde que o novo coronavírus foi detetado em Itália a 21 de Fevereiro é de 172.434, com 3.493 desde ontem, menos do que no dia anterior, e destes, 42.727 já foram curados (2.563 nas últimas 24 horas, o número mais elevado desde o início da emergência), de acordo com os dados de hoje da Proteção Civil italiana.

17h00 (CET) Parlamento Europeu vai apoiar saúde com mais 3.000 milhões de euros

O Parlamento Europeu (PE) deu hoje luz verde a várias propostas para reforçar o orçamento comunitário em resposta à pandemia do novo coronavírus, incluindo uma que prevê mais de 3 mil milhões de euros para apoiar o setor da saúde e a constituição de reservas de material médico.

Segundo a agência EFE, a Comissão Europeia prevê que 2,7 mil milhões de euros sejam canalizados para medidas ao abrigo do mecanismo de ajuda de emergência, como o armazenamento e a distribuição de recursos essenciais e equipamento médico, o transporte de doentes, equipamento de proteção, a conversão das empresas para o fabrico dos materiais necessários, e o apoio ao desenvolvimento de medicamentos e de métodos de diagnóstico da doença.

Além disso, 300 milhões de euros deste pacote serão utilizados para reforçar o stock europeu de equipamento médico recentemente criado por Bruxelas.

16h30 (CET) Suécia alarga realização de testes de rastreio

A Suécia, que tomou medidas mais flexíveis do que a maioria dos outros países europeus para conter a propagação do novo coronavírus, anunciou esta sexta-feira que irá proceder a um rastreio da sua população em maior escala nas próximas semanas.

Os testes, que até agora têm sido realizados em doentes hospitalares e trabalhadores do setor da saúde, irão agora visar também pessoas em posições consideradas "essenciais" à sociedade - como a polícia e os bombeiros - para que possam regressar ao trabalho mais rapidamente depois de apresentarem os sintomas.

"Estamos a falar de uma capacidade de teste e análise de 50.000, talvez até 100.000, por semana", anunciou a ministra da Saúde, Lena Hallengren, numa conferência de imprensa, que revelou ainda terem sido já testadas cerca de 75.000 pessoas no país.

15h50 (CET) África aproxima-se dos 1000 mortos e tem mais de 18 mil casos

O número de mortes provocadas pela covid-19 em África subiu para 961 nas últimas horas, com mais de 18 mil casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia naquele continente.

Segundo o boletim do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortes registadas subiu de 910 para 961, enquanto as infeções aumentaram de 17.247 para 18.333.

15h10 (CET) Reino Unido soma mais 847 mortos e atinge total de 14.576

O ministério da Saúde do Reino Unido anunciou hoje o registo de mais 847 mortes de pessoas infetadas nas últimas 24 horas, aumentando para 14.576 o número de óbitos durante a pandemia de covid-19.

O número total de casos de contágio é agora de 108.692, mais 5.599 do que no dia anterior, acrescentou.

14h15 (CET) Pandemia ultrapassa os 145 mil mortos em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 145.673 pessoas em todo o mundo desde o seu aparecimento na China, em Dezembro, de acordo com um relatório da agência AFP baseado em fontes oficiais, até às 12:00 CET de sexta-feira.

Mais de 2.182.740 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados em 193 países e territórios desde o início da epidemia.

No entanto, este número de casos diagnosticados reflecte apenas uma fracção do número real de infecções, sendo que muitos países testam apenas os casos que requerem cuidados hospitalares.

13h30 (CET) Portugal anuncia mais 28 óbitos e supera os 19 mil casos

As autoridades portuguesas de saúde anunciaram hoje mais 28 mortes associadas à covid-19, elevando o total de óbitos para 657, enquanto o número de infetados está agora nos 19.022 (mais 181 face a quinta-feira).

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), os números traduzem um aumento percentual de 4,5% de mortes e de 0,96% em novos casos.

Acompanhe aqui a conferência de imprensa da Direção-Geral da Saúde.

Conferência de imprensa COVID-19

Conferência de imprensa COVID-19 | Acompanhe em direto #DGS #Saúde #SNS

Publiée par Direção-Geral da Saúde sur Vendredi 17 avril 2020

12h30 (CET) Mortes e novos casos voltam a subir em Espanha nas últimas 24 horas

Espanha registou 585 mortes e 5.252 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas.

O balanço hoje divulgado denuncia uma ligeira subida nos dois indicadores em relação a quinta-feira, quando se tinham verificado 551 e 5.183, respetivamente.

De acordo com as autoridades sanitárias espanholas, o total de óbitos é agora de 19.478 óbitos, além de 188.068 casos.

10h30 (CET) Rússia regista mais de 4 mil novos casos

As autoridades de saúde da Rússia revelaram o registo de mais 4.049 casos de infeção num período de 24 horas, iniciado na atualização de quinta-feira. Sem registo de mortes associadas à Covid-19 no mesmo período, a Rússia soma um total de 32.007 infeções e 232 mortes registadas.

10h00 (CET) Alemanha soma mais de 3 mil novas infeções e quase 300 mortes

A Alemanha atualizou esta sexta-feira os dados da epidemia no país, somando mais 3.380 novos casos de infeção e 299 mortes associadas à covid-19. É o terceiro dia consecutivo com aumento nos novos casos diagnosticados. No total, existem registos de 133.830 pessoas infetadas no país e quase 82 mil recuperadas do novo coronavírus.

09h50 (CET) Hospital de Ovar inicia teleconsultas

O Hospital Francisco Zagalo, em Ovar, cidade sob uma cerca sanitária há semanas, começou esta sexta-feira a realizar consultas por videoconferência. É a primeira unidade do serviço de Saúde de Portugal aadotar esta prática de reforço da capacidade do SNS na assistência médica à população.

09h30 (CET) Identificadas mais de 70 tentativas de pirataria informática em Portugal

O Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) confirmou à Lusa o aumento de ciberataques em Portugal no último mês. Até 12 de abril, durante o período de estado de emergência, foram intercetados 71 casos de "phishing", um tipo de ataque cibernético que visa "pescar" dados privados de um utilizador.

Outras notícias das primeiras horas do dia:

  • China sofre contração acentuada e reduz casos ativos de Covid-19

Economia chinesa sofreu no primeiro trimestre deste ano a maior contração desde 1970. Após uma paralisação de quase dois meses, devido às medidas de contenção da epidemia, a segunda maior economia do mundo e berço do surto de Covid-19 contraiu 6,8% em termos homólogos devido à queda acentuada no consumo e na produção. A recuperação espera-ase longa e mais difícil do que o previsto anteriormente.

Na atualização dos dados da epidemia, esta sexta-feira, a China registou 26 novos casos de infeção nas 24 horas anteriores, incluindo 11 por contágio interno e o resto por importação, nomeadamente a partir da Rússia. Sem novas mortes, foram também anunciadas mais 52 pacientes recuperados do vírus. A China voltou a ver cair o número de casos "ativos", agora para 1.081, dos quais 29 em estado grave.

O número total de infetados diagnosticados na China com o novo coronavírus é de 82.367 casos, incluindo 3.342 mortos até às 23h59 de quinta-feira (16h59 em Lisboa).

  • Mais de quatro mil mortos em 24 horas nos Estados Unidos

Os EUA registaram 4.491 mortos nas últimas 24 horas devido à covid-19, elevando para cerca de 33 mil o total de vítimas mortais no país, indicou a Universidade Johns Hopkins.

O número de pessoas nas prisões de Nova Iorque é o mais pequeno desde 1946, após o final da II Guerra Mundial, devido às medidas adotadas pela cidade para mitigar a propagação da pandemia de covid-19. “A população encarcerada está agora abaixo de 4.000 presos”, disse o autarca de Nova Iorque, Bill de Blasio.

  • Brasil vê agravar-se taxa de letalidade da epidemia

O Brasil ultrapassou a barreira das 30 mil pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus, totalizando 30.425 casos confirmados e 1.924 óbitos desde o início da pandemia, informou hoje o executivo. Em 24 horas, o país registou 188 mortes e 2.105 novos casos de infeção. O Ministério da Saúde revela que a taxa de letalidade da Covid-19 subiu para 6,3%