Última hora
This content is not available in your region

Estudo norte-americano apresenta resultados positivos no tratamento da covid-19

euronews_icons_loading
Estudo norte-americano apresenta resultados positivos no tratamento da covid-19
Direitos de autor  Gilead Sciences
Tamanho do texto Aa Aa

É um raio de esperança na luta contra a covid-19. Um estudo norte-americano sugere que o medicamento antiviral remdesivir, inicialmente desenvolvido como tratamento para o Ébola, reduz o tempo de recuperação da covid-19 quatro dias em média. O estudo ainda não foi revisto pelos pares e sugere também uma tendência para baixar o número de mortes.

Anthony Fauci é o diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA, que supervisionou o estudo, e referiu que apesar dos resultados não serem conclusivos, forneceram um indício importante ao provar que este vírus pode ser bloqueado por uma droga.

O resultado contraria um estudo anterior, feito na China31022-9/fulltext) e onde foi usada a mesma droga em pessoas com casos severos de covid-19, que não tinha dado resultados. Este estudo, no entanto ficou incompleto devido ao baixo número de participantes e acabou por ser abandonado.

O maior estudo clínico no combate à estirpe do coronavírus que parou o mundo tem vindo a ser efetuado no Reino Unido. O Recovery envolve mais de oito mil doentes e testa cinco medicamentos distintos. Apesar da vontade dos autores, entre essas drogas não se encontra o remdesivir devido à elevada procura global e à pouca disponibilidade no mercado. Os resultados estão previstos para junho, mais cedo se houver algum tratamento garantidamente benéfico.

Em França, a esperança dá pelo nome de Tocilizumab, medicamento normalmente usado no combate à artrite reumatoide. Os primeiros resultados sugerem que é eficaz a reduzir a inflamação nos casos graves de covid-19 e que reduz o número de transferências para os cuidados intensivos e de óbitos. A publicação do estudo está prevista para as próximas semanas.