Donald Trump homenageia os trabalhadores que combatem o inimigo invisível

Donald Trump homenageia os trabalhadores que combatem o inimigo invisível
Direitos de autor JIM WATSON/AFP or licensors
Direitos de autor JIM WATSON/AFP or licensors
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Sexta-feira nos EUA marcada pelo anúncio de 98 mortes num lar de Nova Iorque e pelos protestos contra o confinamento na Califórnia

PUBLICIDADE

Donald Trump homenageou quem arrisca a vida para manter o país em funcionamento. A cerimónia teve lugar esta sexta-feira na Casa Branca com o objetivo de "dar o reconhecimento devido a vários indivíduos que enfrentaram este inimigo invisível com coragem e determinação, pessoas excecionais"

Para o Presidente norte-americano, "o meio de tanta dor, estes heróis que homenageamos são uma fonte de inspiração para todos."

Apesar da oposição inicial às medidas de restrição, Trump não deixou de se congratular pelo seu sucesso:

"O pior cenário sem medidas de restrição apontava para 1,5 a 2,2 milhões de mortos. Se tudo correr bem, vamos conseguir ficar abaixo das cem mil."

Nova Iorque tem sido de longe o estado mais afetado no país, com perto de 25 mil óbitos associados à covid-19. Esta sexta-feira foi revelada a morte de 98 pessoas num lar da terceira idade, um número que provocou ondas de choque, até porque o saldo anterior era de apenas 13 mortes em lares da terceira idade em todo o estado.

Na Califórnia, o encerramento das praias foi a gota de água que levou milhares de pessoas para a rua. Indiferentes à ameaça da covid-19, os manifestantes pediram o fim das medidas de restrição. Gavin Newsom, Governador da Califórnia, prometeu mudanças para os próximos dias mas garantiu que isso se devia aos mais recentes dados da epidemia e não à pressão política.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Homem imolou-se no exterior do tribunal onde Donald Trump está a ser julgado

Trump recebeu presidente polaco em Nova Iorque para reunião "amigável"

Processo de seleção do júri promete atrasar julgamento de Trump