Polícia inglesa apoia idosos em isolamento

Polícia inglesa apoia idosos em isolamento
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Habitantes do sul de Londres estão a beneficiar de um programa comunitário que pretende garantir que a população mais vulnerável está bem, durante o confinamento por causa da covid-19.

PUBLICIDADE

Nos últimos tempos, as patrulhas pelas ruas sul de Londres têm sido frequentes, mesmo sem grande registo de criminalidade.

Desde que o confinamento por causa da covid-19 começou, os agentes da polícia costumam passar por aqui para garantir que os residentes se encontram bem de saúde.

Aos 94 anos, também Gwendalyn Iles abre a porta aos agentes. Vive em isolamento voluntário por prevenção e agradece a preocupação e dois dedos de conversa.

"Fui agorafóbica durante anos depois de ver a minha irmã ser morta num ataque aéreo durante a guerra e não saí muito. Mas agora posso sair no meu carrinho e já não me incomoda, porque posso pegar nele, ir às lojas e depois tenho um médico que vem ver se estou bem. E é isso", conta.

As visitas fazem parte da "Operação Nogi", um programa comunitário desenhado para garantir que os residentes idosos que vivem sozinhos tenham apoio durante a crise do coronavírus.

De acordo com Liam Hack, um dos agentes destacados para a patrulha, "uma conversa rápida à porta durante 10 a 15 minutos" , permite saber "com quem estão a falar, se os vizinhos estão a olhar por eles, ou se há algum medicamento que precisem de ir levantar".

A quarentena tem levado a uma redução do número de crimes, dando tempo à polícia inglesa para apoiar a comunidade mais vulnerável.

Um fenómeno verificado sobretudo nas últimas duas semanas e que começa agora também a beneficiar do regresso gradual de agentes ao serviço.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Enfermeira sueca denuncia falta de proteção dos idosos face à Covid-19

Covid-19 amplia perigo para idosos isolados de Moscovo

Lares de idosos podem representar 50% das mortes por Covid-19