Última hora
This content is not available in your region

Boris Johnson apela ao "senso comum britânico"

euronews_icons_loading
Boris Johnson apela ao "senso comum britânico"
Direitos de autor  Pippa Fowles / 10 Downing Street via AP
Tamanho do texto Aa Aa

O plano de Boris Johnson para o desconfinamento do Reino Unido gerou uma onda de criticismo no país. A oposição queixa-se que as medidas são ambíguas e pouco claras, apontando a confusão gerada nas medidas para o regresso ao trabalho.

Apesar do confinamento ter sido prolongado até 1 de junho, o primeiro-ministro encorajou quem não pudesse trabalhar a partir de casa a regressar ao trabalho mas não especificou quando. Afinal só devia ter sido a partir de quarta-feira, o esclarecimento chegou demasiado tarde através de um documento de 50 páginas publicado esta segunda-feira.

Boris Johnson apelou ao "senso comum britânico" para combater a covid-19 e reforçou que a mensagem que quer passar não tem nada de ambíguo:

"As pessoas devem estar alerta e trabalhar em casa se puderem. Limitar o contacto com outras pessoas e manter a distância, dois metros sempre que possível. Lavar as mãos regularmente. Usar máscara em espaços fechados e onde não for possível manter a distância, como em algumas lojas ou em transportes públicos. E se alguém na vossa residência tiver sintomas, precisam de se isolar todos."

O Reino Unido é o segundo país a nível mundial com mais mortes associadas à covid-19. O número de óbitos supera os 32 mil, pior, só os Estados Unidos.