EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Félicien Kabuga envolvido no genocídio no Ruanda detido em Paris

Félicien Kabuga envolvido no genocídio no Ruanda detido em Paris
Direitos de autor Ben Curtis/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Ben Curtis/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
De  Patricia Tavares
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Preso um fugitivos mais procurados do mundo.

PUBLICIDADE

Era um dos fugitivos mais procurados do mundo. Félicien Kabuga, alegado financiador do genocídio da comunidade Tutsi no Ruanda, foi detido este sábado, em França. Com uma identidade falsa, o homem de 84 anos morava no departamento de Hauts-de-Seine, perto de Paris.

O casal franco-ruandês Alain e Dafroza Gauthier que, nos últimos 20 anos, tem procurado participantes do genocídio escondidos em solo francês ficou surpreendido com esta detenção.

Mesmo que não estejamos diretamente envolvidos na busca de Kabuga, é uma notícia extraordinária para nós. Não sei o que vai acontecer depois a nível judicial, mas o fato deste financiador do genocídio ter sido preso pode ter consequências e afetar outras personalidades ruandesas importantes que estão em França.
Alain Gauthier
Presidente associação Coletivo de Partes Civis para Ruanda

Acredita ainda que podem existir aproximadamente 100 pessoas em território francês que também fizeram parte do planeamento do genocídio tutsi e tem apresentado dezenas de queixas perante os tribunais franceses. "Mesmo sem a presença de Kabuga em solo francês, já se dizia que França era uma terra de acolhimento para os que participaram no genocídio no Ruanda. Fizemos cerca de 30 queixas, mas poderíamos fazer muitas mais se tivéssemos tempo e meios para investigar. É surpreendente encontrar Kabuga em território francês", acrescentou Alain Gauthier.

Félicien Kabuga é acusado pela justiça internacional de ter usado a sua fortuna para financiar os massacres. Em 1994, o genocídio matou entre 800 e 1 milhão de pessoas da minoria tutsi.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Relatório aponta "grandes responsabilidades" da França no Ruanda

Caça ao homem em França depois de emboscada a carrinha celular que matou dois guardas prisionais

Encontrados restos mortais do pequeno Émile