EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Protestos na Alemanha a diminuir

Protestos na Alemanha a diminuir
Direitos de autor Peter Dejong/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Peter Dejong/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Protestos contra medidas restritivas do Governo reúnem menos pessoas, na Alemanha. País reabre gradualmente a economia

PUBLICIDADE

Centenas de pessoas voltaram a manifestar-se, este fim de semana, em várias cidades na Alemanha, em protesto contra as medidas restritivas, impostas pelo Governo de Angela Merkel, para combater a pandemia da Covid-19.

Em Berlim, as autoridades tentaram gerir a multidão de modo a manterem-se as medidas de segurança adequadas, onde se inclui o distanciamento social.

Uma missão difícil, como confirma a porta-voz da polícia da capital germânica, Anja Dierschke:

"É difícil. Temos cerca de 1000 polícias de serviço em todo a cidade para garantir que as manifestações possam ocorrer, mas, ao mesmo tempo, garantir que as regras de distanciamento social são cumpridas".

E quais são as motivações para estes protestos?

O especialista em conflitos e movimentos políticos Swen Hutter explica: "É uma mistura muito difusa de pessoas. Isso acontece por vezes em movimentos que estão relacionados com um acontecimento específico. Como temos esta pandemia específica de coronavírus e as restrições relacionadas com ela, é possível conseguir-se que um grande número de pessoas muito distintas se junte".

As manifestações espalharam-se um pouco por toda a Alemanha.

Por vezes, os grupos de direita tentam capitalizar os protestos de modo a atraírem mais simpatizantes.

Outras manifestações foram convocadas por grupos de esquerda ou antivacinas. No entanto, parece haver um denominador comum: a falta de confiança nas autoridades, como explica Simone Rafael da Amadeu Antonio Foundation.

"Muitas destas pessoas estão envolvidas em diferentes teorias da conspiração e quando se começam a envolver nessa visão do mundo, com antissemitismo, racismo, ideias de inimigos, então é muito difícil conseguir voltar atrás. Esse é o perigo para a sociedade, que tenhamos este grupo de pessoas, e está a crescer rapidamente, que acaba por se alienar da realidade e que procura procura soluções fáceis num mundo complicado."

Estes manifestantes pertencem a uma minoria na Alemanha. De acordo com as últimas sondagens, a maioria dos alemães aprovam as medidas adotadas pelo Governo de Angela Merkel para combater a pandemia da Covid-19. O número de manifestantes tem vindo a diminuir, como sublinha o repórter da euronews, Jona Källgren.

"A Alemanha reabriu a economia, mas mesmo assim, os protestos continuam. Apesar de serem mais pequenos do que há algumas semanas."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alemanha "preocupada" com resultados das eleições francesas apesar da derrota da extrema-direita

Euro 2024: Elefante Bubi prevê vitória da Alemanha contra a Dinamarca

Campeonato europeu não tira economia alemã da estagnação