Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de sexta-feira, 19 de junho

AP Photo
AP Photo   -   Direitos de autor  Tatan Syuflana/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia já fez com que mais de sete milhões de pessoas fossem infetadas em pelo menos 185 países e, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, terá contribuído para 456,960 mortes. O total de recuperados ultrapassa os 4 milhões.

O surto de SARS-CoV-2 terá surgido em dezembro na cidade chinesa de Wuhan e teve o primeiro registo na Europa a 20 em janeiro, em França, no mesmo dia em que agora se admite ter sido também registado o primeiro caso dos EUA.

A pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março.

Atualizações:

21h20 (CET) Cabo Verde atualiza os números

As autoridades de saúde de Cabo Verde reviram hoje em baixa o número de casos diários de covid-19 na cidade da Praia, para 24, e o total acumulado a nível nacional passa a 848, segundo informação oficial.

Em conferência de imprensa para fazer o ponto de situação da doença no país, o diretor do Serviço de Prevenção e Controlo de Doenças, Jorge Noel Barreto, disse que o comunicado enviado de manhã pelo Ministério da Saúde dava conta de 26 casos a nível nacional, 25 dos quais na cidade da Praia, mas que após uma verificação, deu-se conta que a Praia tinha tido 24 casos.

“Verificou-se que havia uma pessoa que já tinha sido notificada, por uma pequena confusão no nome, mas depois foi possível fazer essa confirmação e verificou-se que se tratava da mesma pessoa”, esclareceu Jorge Barreto.

20h49 (CET) São Tomé e Príncipe com 10 novos casos em 48 horas

São Tomé e Príncipe registou nos último dois dias 10 novos casos positivos de covid-19, aumentando para 693 o número de infeções pelo novo coronavírus no país, indicou hoje a porta-voz do Ministério da Saúde, Isabel dos Santos.

Os 10 novos casos de covid-19 registados pelo Ministério da Saúde resultam de 84 testes rápidos efetuados entre quinta-feira e hoje.

De acordo com a mesma fonte, também aumentou para 199 o número de pessoas recuperadas, enquanto dois dos 12 pacientes internados no hospital de campanha tiveram alta.

Do total acumulado de 693 casos de covid-19, mantêm-se os 12 óbitos antes declarados devido ao novo coronavírus.

20h30 (CET) OMS diz que novos surtos não correspondem a segunda vaga

O surgimento de novos focos de infeção por covid-19, como o detetado recentemente num mercado grossista em Pequim, não significa necessariamente que esteja a surgir uma segunda vaga da pandemia, disseram hoje especialistas da OMS.

Numa conferência de imprensa ‘online’ a partir da sede da Organização Mundial de Saúde (OMS) em Genebra o diretor para as emergências em saúde, Mike Ryan, disse que não se trata de uma segunda vaga porque não há uma transmissão comunitária generalizada.

“Por vezes há casos esporádicos que ao serem investigados levam a novos focos, em situações de eventos de contágio massivo ligados a concentrações em recintos fechados. Devem vigiar-se para evitar um segundo pico de infeção e voltar a ter de se recorrer a confinamentos”, disse o responsável da OMS.

Mike Ryan frisou que novos focos de contágio como os detetados na Alemanha, Singapura, China ou Coreia do Sul, entre outros países, “não são uma segunda vaga”, já que não têm que estar associados a uma transmissão comunitária geral, a fase mais grave de uma epidemia.

19h55 (CET) Mundo está numa fase "muito perigosa", diz OMS

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que a pandemia de covid-19 está a acelerar e que o mundo está agora “numa fase muito perigosa”.

Nas declarações, feitas na conferência de imprensa online a partir da sede da organização, em Genebra, o responsável disse que só na quinta-feira foram comunicados à OMS mais 150.000 novos casos de infeção por covid-19, o valor mais elevado até agora.

Desse total “praticamente dois terços” tiveram origem no continente americano, com muitos casos também no sul da Ásia e no Médio Oriente, explicou.

“O mundo está numa nova fase muito perigosa. Muitas pessoas estão muito cansadas de ficar em casa, os países querem reabrir as suas sociedades e economias, mas o vírus continua a ser transmitido de forma rápida, continua mortal, e as pessoas continuam expostas”, alertou Tedros Adhanom Ghebreyesus.

O diretor-geral da OMS pediu às pessoas e aos países para que continuem vigilantes e pediu que se mantenham os princípios básicos do distanciamento físico, de se ficar em casa se houver suspeitas de doença, de se cobrir a boca e o nariz em caso de tosse ou espirro, de se usar máscara quando for necessário e de se higienizar as mãos.

“Continuamos a pedir a todos países que se centrem nas medidas básicas, encontrar, isolar, testar e tratar os casos. E fazer o rastreamento de todos os contactos”, acrescentou.

19h30 (CET) Mais 47 mortes em Itália no último dia

A Itália registou 47 mortes associadas ao novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o número total para 34.561 óbitos, mas certificou uma notável redução no número de pacientes, menos 1.558 que na quinta-feira, anunciou hoje a Proteção Civil.

Por outro lado, confirmou 251 novos casos, o menor número dos últimos três dias, totalizando o número de infetados em 238.011 desde que começou a crise pandémica, a 21 de fevereiro.

A redução de 1.558 doentes em 24 horas é uma das maiores quedas nas últimas duas semanas, mas um total de 21.543 pacientes continuam com testes positivos, a grande maioria continua isolada em casa.

18h55 (CET) Espanha regista duas vítimas mortais nas últimas 24 horas

O Ministério da Saúde espanhol anunciou que houve duas mortes nas últimas 24 horas com covid-19, e que na última semana faleceram 40 pessoas, o que leva o total de óbitos desde o início da pandemia para 28.315.

Os serviços sanitários espanhóis também dão conta de 154 novos casos com a doença, elevando para 245.575 o total de infetados desde o início da pandemia.

O relatório diário com a atualização da situação epidemiológico no país avança que já passaram pelos hospitais 124.806 pessoas com covid-19, tendo dado entrada na última semana 97.

O Ministério da Saúde atualizou hoje a meio do dia o número de mortes causadas pelo coronavírus para 28.313 notificados pelas comunidades autónomas até quinta-feira, mais 1.177 óbitos do que o último número, de 27.136, divulgado a 07 de junho.

18h22 (CET) Governo português ajuda PALOP e Timor-Leste com 3 milhões de euros

O Governo português vai disponibilizar três milhões de euros para apoiar os PALOP e Timor-Leste a combaterem a propagação da covid-19, ao abrigo do Plano de Ação na resposta sanitária à pandemia, hoje apresentado em Lisboa.

Para além dos três milhões de euros, o plano, que tem a duração prevista de um ano, envolve também a disponibilização de material médico e proteção individual, num total de cerca de 800 mil artigos e 95 ações de formação, de acordo com a documentação distribuída aos jornalistas.

"O Plano de Ação na resposta sanitária à pandemia de covid-19, entre Portugal e os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e TImor-Leste, foi elaborado tendo em conta o atual contexto de pandemia mundial e a determinação do Governo Português em contribuir para os esforços dos seus principais países parceiros no combate à covid-19 e aos seus efeitos", acrescenta-se no texto.

Coordenado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, através do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, participam também vários entidades, entre as quais estão os ministérios da Saúde, da Defesa Nacional, da Ciência e Ensino Superior, da Administração Interna, e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, e ainda a Ordem dos Farmacêuticos e a Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos.

17h15 (CET) Irão ultrapassa os 200 mil casos positivos

O Irão ultrapassou a hoje a barreira dos 200.000 casos de contágios pela covid-19, indicaram as autoridades que concederam às províncias o direito de restabeleceram de forma autónoma as restrições para combater a propagação do vírus.

A porta-voz do Ministério da Saúde, Sima Sadat Lari, referiu-se a 2.615 novos casos nas últimas 24 horas, elevando para 200.262 o número total de pessoas infetadas.

Em conferência de imprensa transmitida pela televisão, Lari referiu-se a mais 120 mortes no mesmo período, com um total de 9.292 óbitos no país, e apelou à população para respeitar as normas sanitárias, em particular o distanciamento social.

Hoje, seis das 31 províncias do Irão – Azerbaijão Oriental (noroeste), Buchehr e Hormozgan (sul), Kermanchah (oeste), Khuzestão (sudoeste) e Sistan-Baluchistão (sudeste) – receberam a classificação de “vermelho”, o nível de alerta mais elevado relacionado com o risco de propagação da doença.

16h50 (CET) Portugal regista mais três mortes nas últimas 24 horas

Segundo os dados revelados há minutos pela Direção-Geral da Saúde, morreram mais três pessoas em Portugal, elevando para 1527 o número total de mortes relacionadas com a Covid-19.

O número total de infetados em todo o território português é de 38.464, depois de nesta quinta-feira terem surgido mais 375 novos casos de infeção.

Segundo os dados, 422 pessoas continuam internadas nos hospitais, 67 das quais nos cuidados intensivos. O número de pessoas recuperadas é agora de 24.477.

Já se encontra disponível o relatório de situação de hoje, 19 de junho, que pode ser consultado integralmente em...

Publiée par Direção-Geral da Saúde sur Vendredi 19 juin 2020

16h45 (CET) Reino Unido com mais 173 mortes nas últimas 24 horas

O Reino Unido registou mais 173 mortes devido ao novo coronavírus, mais 38 do que no dia anterior, fazendo o total de óbitos durante a pandemia de covid-19 subir para 42.461, informou hoje o ministério da Saúde britânico.

Nas últimas 24 horas foram diagnosticados mais 1.346 infetados entre 169.600 testes efectuados, pelo que o número de casos de contágio aumentou para 301.815 desde o início da pandemia.

Na quinta-feira tinham sido comunicadas 135 mortes e 1.218 novos infetados relativamente à véspera, mas as autoridades desvalorizam as variações diárias porque podem ser influenciadas pela demora no processo administrativo do registo dos óbitos.

As autoridades britânicas consideram que a taxa de contágio tem decrescido de forma sustentada nas últimas semanas, pelo que hoje foi anunciada a redução do nível de alerta relativo ao covid-19 para o grau 3.

15h20 (CET) Número de mortos na Guiné-Bissau sobe para 17

O número de mortos por covid-19 na Guiné-Bissau subiu para 17 e o de infeções registadas desde março para 1.541, anunciou hoje o coordenador do Centro de Operações de Emergência de Saúde (COES).

De acordo com Dionísio Cumba, entre segunda e quinta-feira foram analisadas 175 novas amostras, das quais 49 deram positivo.

"Temos, neste momento, 1.541 casos de covid-19 acumulados desde o início da pandemia", afirmou Dionísio Cumba, na segunda conferência de imprensa da semana para fazer a atualizados da evolução da pandemia provocada pelo novo coronavírus no país.

15h00 (CET) Espanha atualiza número de mortes relacionadas com a pandemia, mais 1.177

O ministério da Saúde de Espanha atualizou o número de mortes relacionadas pelo coronavírus, que permanecia inalterado há 12 dias, com mais 1.177 óbitos, para um total de 28.313 desde o início da pandemia.

Os números foram atualizados após as diversas comunidades do país terem aprovado os dados dos casos de forma individualizada, mas ainda sem incluir o número de mortos das últimas 24 horas que o ministério da Saúde disponibiliza todas as tardes, informou o diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências Sanitárias, Fernando Simón.

O Governo espanhol tinha anunciado quinta-feira que ia fazer hoje uma revisão em alta do número de mortes no país devido à covid-19, para "cerca de 28.000", a partir dos então 27.136, dado que estava sem alterações desde 07 de junho.

O número oficial de mortos mantinha-se inalterado depois de os métodos de contagem de casos e mortes terem sido alterados no final de maio.

13h45 (CET) Alemanha com quase 800 novos casos nas últimas 24 horas

Alemanha registou nas últimas 24 horas 770 casos de covid-19, para um total de 188.534, a maior subida desde o inicio de junho, mas mantém a taxa de contágio pelo coronavirus responsável pela doença abaixo de 1, em 0,86.

De acordo com o Instituto Robert Koch (RKI) são agora 8.872 as vítimas mortais, um aumento de 16 em relação ao dia anterior. O número de casos considerados curados cresceu 400 para aproximadamente 174.400.

O governo da Renânia do Norte-Vestefália, a segunda região com o maior número de casos (40.156), e a terceira com um registo mais elevado de óbitos (1.660), vai abrir uma investigação para apurar as causas de um novo surto num matadouro que provocou, até ao momento, 750 contágios.

O objetivo, sublinhou o ministro da Saúde deste estado-federado, Karl-Josef Laumann, é averiguar o que provocou as infeções “do ponto de vista epidemiológico” para assim conseguir “precisar de que forma surgem novos surtos na indústria da carne”.