Última hora
This content is not available in your region

Venda de piscinas dispara em Espanha durante a pandemia

euronews_icons_loading
Venda de piscinas dispara em Espanha durante a pandemia
Tamanho do texto Aa Aa

A piscina é uma novidade na casa dos Muñoz, em Espanha. Foi pensada durante o confinamento e o facto de ocupar quase toda a área do pequeno quintal não incomoda os donos da casa. O calor e a incerteza sobre o futuro levaram José María Muñoz a tomar a decisão de instalar esta piscina. Em declarações à Euronews, justifica que não sabendo quanto tempo iriam durar as restrições e com a perspectiva de não poderem usar equipamentos públicos durante o verão, "decidiram comprar a piscina, para estarem seguros e calmos."

O confinamento e o facto do mês de maio ter sido o mais quente em Espanha nos últimos 55 anos fizeram disparar a venda de piscinas em 400%. Um valor que ainda podia ser maior, porque nem todos os espaços podem acolher estas estruturas. Mayte Nieto é especialista na área e explica que a placa de um andar está prepararda para suportar mil quilos e uma pequena piscina de dois metros quadrados cheia de água pesa mais de 4 mil quilos.

Mas a batalha contra o calor em Espanha não se faz apenas com água. A venda de ventoinhas também disparou.

Numa grande superfície visitada pela Euronews, o gerente diz que as vendas subiram 65 por cento. Sobretudo ventoinhas de teto. Os clientes justificam a compra com o teletrabalho e a necessidade de criar condições para estar mais tempo em casa.

A tendência deve continuar. As temperaturas nalgumas zonas de Espanha estão 3 a 4 graus acima da média para a época e os espanhóis procuram o equílibrio entre apanhar sol e estar ao fresco.

O jornalista da Euronews Juan Carlos de Santos analisou os dados da agência de meteorologia espanhola. O verão prevê-se mais quente do que o habitual, especialmente no centro da Península Ibérica.