EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Rússia vota alterações à Constituição

Rússia vota alterações à Constituição
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Galina Polonskaya
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vladimir Putin poderá continuar como Presidente do país depois de 2024, data do fim do seu segundo mandato, se alterações forem aprovadas

PUBLICIDADE

Os russos começaram esta quinta-feira a votar as alterações à Constituição promovida pelo Kremlin. Se forem aprovadas, as emendas irão permitir a Vladimir Putin continuar como Presidente do país após o fim do seu segundo mandato, que termina em 2024.

A correspondente da Euronews, Galina Polonskaya, diz que nas mesas de voto, em Moscovo, podia-se ver filas de pessoas à espera para votar desde as primeiras horas da manhã, todas respeitando o distanciamento social e as marcações no chão. Assim que um grupo de pessoas acabava de votar, as mesas de voto eram logo desinfetadas.

Tem havido uma grande afluência às urnas e os russos acreditam que estão a decidir algo importante para o futuro do país.

Victoria Gavrilova, residente em Petropavlovsk-Kamchatsky, diz que "quer acreditar num futuro brilhante, que os nossos filhos serão protegidos, que alcançaremos a estabilidade. A votação é importante, porque o futuro da Rússia está em jogo".

Alguns russos lamentam não poder votar cada uma das emendas constitucionais e ter de aprovar ou rejeitar todas as alterações em bloco.

A votação vai prolongar-se até 1 de julho para que se evitem multidões junto aos locais de voto e se minimize o risco de contágio do novo coronavírus.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cineasta russo considerado culpado do desvio de fundos

EUA e Rússia voltam a debater nuclear ainda no Verão

Oposição a Putin faz protesto digital