EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

"Luanda Leaks": Isabel dos Santos pode ser ouvida em Portugal

Isabel dos Santos e o marido Sindika Dokolo negam abuso de dinheiros públicos angolanos
Isabel dos Santos e o marido Sindika Dokolo negam abuso de dinheiros públicos angolanos Direitos de autor AP Photo/Paulo Duarte
Direitos de autor AP Photo/Paulo Duarte
De  Francisco Marques com Agência Lusa
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Fonte da PGR de Angola disse à Lusa que o casal pode aproveitar a fase de conciliação dos respetivos processos cíveis para tentar entendimento. Sindika Dokolo admite "ser do interesse do todos encontrar uma saída o mais rápido possível"

PUBLICIDADE

Isabel dos Santos e a o marido, Sindika Dokolo, têm porta aberta para negociar com as autoridades de Angola um acordo no âmbito dos processos em são acusados de abuso de dinheiros públicos. O estado angolano reclama de ambos mais de 5 mil milhões de dólares (4,4 mil milhões de euros).

De acordo com uma fonte da Procuradoria-geral de Angola ouvida pela agência Lusa, o casal pode tentar um acordo através de uma fase preliminar: "Os processos cíveis têm uma fase de conciliação onde as partes podem negociar ou transacionar se chegarem a um entendimento."

Já no âmbito do processo-crime no qual o procurador-geral de Angola, Hélder Pitta Grós, acusa Isabel dos Santos de má gestão e desvio de fundos na Sonangol, a antiga presidente da petrolífera está convocada para ser ouvida em presença e pode ser alvo de um mandado de captura internacional para o conseguir.

Fonte da PGR revelou agora à Lusa que essa audição em presença até pode acontecer em Portugal.

"Se está disposta a colaborar com a justiça, poderá não haver a emissão de um mandado de captura, mas essa colaboração passa por uma audição presencial que pode ser feita em Portugal ou outro país onde se encontrar", disse a fonte não identificada, explicando que essa audição pode ser solicitada através de uma carta rogatória.

Se o solicitar e cumprir, a filha do antigo presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, pode evitar o mandado de captura internacional.

Sobre o andamento do processo contra Isabel dos Santos, a fonte não quis adiantar detalhes por se encontrar ainda em fase de instrução e estarem a decorrer "diligências investigativas", mantendo-se o segredo de justiça.

Aproximação difícil

Uma aproximação por parte da empresária à justiça angolana parece, no entanto, difícil nesta altura.

Na segunda-feira, Isabel dos Santos emitiu um comunicado, reforçado com publicações na rede social Twitter, acusando a justiça angolana de a ter impedido de se defender e de ter recusado a alegação de ter sido vítima de provas falsas usadas em dezembro pelo procurador-geral para lhe congelar contas e bens em Angola e Portugal.

Isabel dos Santos contesta a rejeição do embargo e alega que as acusações de que é alvo se baseiam em provas falsas e emails fabricados.

“Os tribunais angolanos deturparam os factos, manipularam o processo judicial e as autoridades portuguesas”, criticou.

Dokolo em defesa da mulher

O marido de Isabel dos santos, Sindika Dokolo, também deu a cara à defesa e na sexta-feira falou à rádio MFM, de Angola, reiterando que a mulher "está a ser vítima de perseguição política" por ter "descoberto e tentado organizar buracos financeiros deixados pelos anteriores gestores" da Sonangol.

Dokolo teceu também duras críticas ao atual Presidente de Angola, dizendo que o governante conseguiu "todo o seu património, incluindo casas nos Estados Unidos da América, à custa de corrupção" e afirmou ainda não conhecer em Angola "nenhuma governante que consiga justificar respetivo o património com o salário".

O empresário e assumido colecionador de arte foi acionista de uma joelharia entretanto falida na Suíça, a De Grisogono, conhecida por ter comprado em 2016 o maior diamante encontrado em Angola.

O congolês e a angolana são suspeitos de ter usado dinheiros públicos angolanos através da joelharia, de acordo com a divulgação do Consórcio Internacional de Jornalista de uma investigação intitulada "Luanda Leaks", onde são revelados alegados documentos detalhando esquemas financeiros do casal.

O marido de Isabel dos Santos terá dito ainda, na mesma entrevista, ser "do interesse de todos encontrar-se uma saída o mais rapidamente possível", mostrando estar disponível para negociar com as autoridades angolanas.

Outras fontes • RFI, Rádio MFM, DW

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Isabel dos Santos no 'olho do furacão' do "Luanda Leaks"

"Luanda Leaks" acusa Isabel dos Santos de desviar milhões pela Sonangol

Bens de Isabel dos Santos arrestados