Última hora
This content is not available in your region

Líderes do Kosovo e da Sérvia juntos mas ainda distantes em Bruxelas

euronews_icons_loading
Líderes do Kosovo e da Sérvia juntos mas ainda distantes em Bruxelas
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

Sérvia e Kosovo voltaram a sentar-se à mesma mesa, em Bruxelas, mas um acordo entre ambos os "vizinhos desavindos" parece estar ainda longe de ser alcançado.

A União Europeia intercedeu entre ambos os governos depois de um esforço dos EUA para mediar um encontro em junho ter fracassado devido às acusações entretanto dirigidas contra o presidente kosovar, Hashim Thaçi, por alegados crimes de guerra durante a guerra nos Balcãs.

Nesta última semana, uma primeira reunião por videoconferência aconteceu no domingo, incluindo os líderes da Alemanha e de França.

Esta quinta-feira, a União Europeia conseguiu mesmo juntar no mesmo espaço o presidente da Sérvia, Alexander Vucic, e o novo primeiro-ministro do Kosovo, Avdullah Hoti.

Apesar das acentuadas diferenças, o mediador da União Europeia nas negociações assumiu-se "satisfeito" pelo compromisso de ambos os líderes "em continuar a trabalhar intensivamente" em Bruxelas através de delegações.

"Foi também acordado que a nova reunião de alto nível terá lugar em Bruxelas no início de setembro", acrescentou Miroslav Lajčák, o representante especial da UE para o diálogo Belgrado-Pristina e para outros assuntos nos Balcãs ocidentais.

A aproximação entre Kosovo e Sérvia acontece cerca de um ano e meio após o fracasso de um frente-a-frente entre ambos os presidentes, o kosovar Hashim Thaci e o sérvio Alexander Vucic, que se recusaram a encontar em Bruxelas, optando por manter apenas reuniões bilaterais com a UE, na altura representada por Federica Mogherini.

Soberania do Kosovo em causa

Agora, o novo primeiro-ministro kosovar, Avdullah Hoti, e o Presidente sérvio estiveram frente-a-frente, com a mediação do novo Alto Representante da UE, o espanhol Josep Borrel, com quem também mantiveram reuniões em separado.

Hoti e Vucic dialogaram, mas no final mantiveram-se grandes diferenças, de acordo com as declarações do líder sérvio.

O líder sérvio revelou que o chefe de Governo kosovar "repetiu vinte vezes a expressão 'dois países'" e que ele terá falado de "um país e uma região autónoma", acusando Hoti de se ter apresentado na reunião sem saber quais eram os tópicos da reunião.

Pelas redes sociais, Avdullah Hoti revelou otimismo num acordo e disse que os temas em discussão com o líder sérvio passaram por "pessoas desaparecidas e questões económicas", defendeu que "o diálogo é a única alternativa" e que "o reconhecimento mútuo e a normalização de relações são os princípios básicos e objetivo final deste processo".

Vucic reiterou que o reconhecimento da soberania do Kosovo enquanto Estado não deve estar sob a mesa e, embora mostre abertura para algum tipo de acordo, reconheceu que as negociações serão difíceis porque não está apenas a negociar com o governo de Pristina, mas também com os Estados-membros mais fortes da União Europeia, que reconhecem a independência do Kosovo.

O desejo da Sérvia de integrar a UE tem um grande peso na mesa das negociações.