Última hora
This content is not available in your region

Vacina de Oxford contra a Covid-19 produz resposta imunitária

euronews_icons_loading
Vacina de Oxford contra a Covid-19 produz resposta imunitária
Direitos de autor  AP/University of Oxford
Tamanho do texto Aa Aa

A vacina experimental para a Covid-19 (ChAdOx1 nCoV-19), desenvolvida por cientistas da Universidade de Oxford em conjunto com a farmacêutica Astrazeneca, passou a uma nova fase de ensaios clínicos.

Na primeira etapa de testes com humanos, em que participaram 1.077 adultos saudáveis com idades entre 18 e 55 anos, revelou-se segura e produziu uma resposta imunitária, de acordo com os resultados publicados esta segunda-feira na reputada revista "The Lancet."

"O que esta vacina faz muito bem é acionar os dois braços do sistema imunológico além de neutralizar os anticorpos que outras vacinas fazem. Também vemos uma resposta muito forte das células T", sublinhou, em entrevista à Euronews, Adrian Hill, diretor do Instituto Edward Jenner de Pesquisa de Vacinas, de Oxford.

A fórmula baseia-se na vacina utilizada em chimpanzés para a prevenir a contaminação pelo adenovírus ChAdOx1, sendo capaz de induzir uma forte resposta imune em duas frentes do sistema imunológico: as células T e os anticorpos.

Um sinal de esperança, apesar de os investigadores sublinharem que fazem falta pesquisas adicionais para confirmar se o fármaco protege efetivamente contra a infeção por SARS-CoV-2 e qual a moldura temporal da proteção.

Em todo o mundo, há várias iniciativas em curso. Duas delas, na China, encontram-se na fase 3, a etapa avançada de análise de eficácia, a um passo da aprovação caso se mostrem seguras e eficazes.

Nos EUA, há outra candidata a vacina prestes a começar a fase 3.