Última hora
This content is not available in your region

Daphne Caruana Galizia: intermediário esfaqueado

euronews_icons_loading
Daphne Caruana Galizia: intermediário esfaqueado
Direitos de autor  Rene Rossignaud/Rene Rossignaud/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O homem maltês que confessou ter agido como intermediário no assassinato da jornalista Daphne Caruana Galizia foi hospitalizado com ferimentos de faca, na véspera de uma audiência judicial.

De acordo com as autoridades, as feridas de Melvin Theuma no pescoço e abdómen foram autoinfligidas.

A jornalista maltesa de investigação, Daphne Caruana Galizia, foi assassinada com uma bomba em outubro de 2017.

Melvin Theuma recebeu um perdão presidencial em troca do fornecimento de provas e dos nomes dos mandantes do assassinato.

Em dezembro do ano passado, a organização Repórteres Sem Fronteiras e a família da jornalista apresentaram uma queixa-crime em França por cumplicidade em homicídio e corrupção contra várias figuras maltesas onde se incluem o empresário Yorgen Fenech, o ex-ministro do Turismo, Konrad Mizzi, e Keith Schembri, antigo chefe de gabinete do então primeiro-ministro de Malta Joseph Muscat, que renunciou ao cargo no final de 2019.