Inspectores do SEF receiam vulnerabilidade da costa portuguesa

Migrantes
Migrantes Direitos de autor LUSA
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Desembarque ilegal de 21 migrantes na Ilha do Farol foi o quinto do género desde Dezembro

PUBLICIDADE

Os 21 migrantes que deram à costa da Ilha do Farol, em Faro, esta terça-feira, estão saudáveis e os testes à covid-19 foram negativos, mas o desembarque ilegal reforçou a tendência verificada nos últimos tempos. Foi já o quinto episódio do género desde dezembro.

O Sindicato dos Inspetores do SEF aponta o dedo às autoridades portuguesas, para Acácio Pereira a incapacidade para detetar as embarcações em tempo útil mostra que a costa portuguesa está vulnerável a operações ilegais. O sindicalista lamenta ainda a falta de um acordo de repatriamento com Marrocos mas a diplomacia portuguesa garante estar a trabalhar para resolver o problema.

As autoridades locais começam a admitir a possibilidade de existir uma rede ilegal a fazer a ligação entre o norte de África e a costa algarvia. Nos últimos oito meses desembarcaram ilegalmente na região 69 pessoas. Os recém-chegados estão sob custódia das autoridades e verão o futuro decidido pela justiça portuguesa.

Editor de vídeo • Bruno Sousa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Parques aquáticos a 10% da capacidade

Algarve pelas "praias da amargura" devido a listas seguras e horários

Milhares de turistas retidos em Espanha e Marrocos