Última hora
This content is not available in your region

China responde na mesma moeda

euronews_icons_loading
China responde na mesma moeda
Direitos de autor  Xονγκ Κονγκ
Tamanho do texto Aa Aa

Trata-se de uma medida simbólica já que estes três países tinham suspendido unilateralmente os tratados. Em causa, está a nova lei de segurança nacional imposta por Pequim em Hong Kong.

O porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros da China falou de uma "manipulação política da cooperação judicial e de um passo errado que prejudica e se afasta do propósito de defender a justiça e o Estado de direito".

Com a nova lei, Pequim tem um instrumento oficial para acabar com as manifestações pró-democracia e com os discursos que defendem a independência do território. A diplomacia chinesa já avisou que qualquer pressão sobre este assunto é considerada uma “ingerência grosseira nos assuntos internos” do país.

Nova Zelândia

Depois do Canadá, Austrália e Reino Unido, esta terça-feira, foi a vez da Nova Zelândia suspender os tratados de extradição com Hong Kong.

O ministro dos Negócios Estrangeiros neozelandês explicou a decisão que pode complicar as relações com Pequim, o parceiro comercial mais importante do país.

Winston Peters afirmou que é claro que a lei agora não é a de 1997 e que por isso o acordo de extradição não se mantém. Sublinhou que se Pequim voltar a honrar os compromissos a Nova Zelândia volta atrás nesta decisão e garantiu que não está preocupado com as exportações para a China neste contexto "porque todas as democracias têm o direito de mostrar pontos de vista".