Última hora
This content is not available in your region

Presidente da FIFA no alvo da justiça helvética

euronews_icons_loading
(Arquivo) Gianni Infantino
(Arquivo) Gianni Infantino   -   Direitos de autor  Jon Chol Jin/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da FIFA é acusado de "abuso de autoridade", obstrução e "violação do segredo de justiça". Gianni Infantino é alvo de um processo instaurado pela procuradoria federal Suíça no quadro daquele que é considerado o maior escândalo no mundo do futebol: O Fifagate. A informação foi anunciada em comunicado pelas autoridades judiciais helvéticas.

O anuncio surge uma semana depois da demissão do procurador-geral federal Michael Lauber por causa da sua gestão do caso Fifagate e alegado conluio com Infantino, ao serem conhecidos pelo menos três encontros informais em pouco mais de um ano.

Esta quinta-feira, a justiça helvética avançou também com procedimentos para levantar a imunidade do ex-procurador-geral.

A FIFA reagiu. Reiterou o compromisso com a justiça mas considera que um encontro com o procurador não constitui crime.

O escândalo Fifagate rebentou em 2015 e resultou da cooperação das autoridades suíças e norte-americanas num caso de subornos, branqueamento de capitais e fraude na atribuição de direitos televisivos, marketing e patrocínios em competições organizada pelas federações dos Estados Unidos e na América do Sul.

Infantino chegou ao trono da FIFA com o afastamento do anterior presidente Sepp Blatter e da suspensão de Michel Platini, o favorito para o suceder. Pelo menos 45 pessoas enfrentam a justiça naquele que é considerado o maior caso de corrupção a manchar o futebol.

A FIFA recusou comentar.