Última hora
This content is not available in your region

Dezenas de detenções em protestos na Bielorrússia

euronews_icons_loading
Dezenas de detenções em protestos na Bielorrússia
Direitos de autor  Sergei Grits/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Na Bielorrússia, quando a noite caiu, os protestos contra o presidente Alexander Lukashenko transformaram-se em confrontos, por vezes violentos, entre manifestantes e polícia.

Milhares de pessoas saíram às ruas da capital Minsk e outras grandes cidades do país para protestar contra os resultados preliminares das eleições presidenciais, que dão uma vitória esmagadora a Lukashenko, que será assim reeleito para um sexto mandato.

A polícia usou balas de borracha, granadas atordoadoras, gás lacrimogéneo e canhões de água para dispersar as multidões. Dezenas de pessoas foram detidas ao longo da noite.

A forma autoritária com que Lukashenko tem gerido a Bielorrússia desde que tomou posse em 1994 já levou o país a ser apelidado de "última ditadura da Europa".

Nos últimos tempos, aumentou a pressão sobre o presidente, depois de vários colaboradores próximos da principal candidata da oposição, Svetlana Tikhanovskaya, terem sido detidos. Um deles viu-se obrigado a deixar o país. A campanha de Tikhanovskaya não apelou aos protestos de rua, mas anunciou que vai contestar os resultados através dos mecanismos legais possíveis.